Flu sufoca o Inter, mas peca nas falhas individuais e sai derrotado

Flu sufoca o Inter, mas peca nas falhas individuais e sai derrotado

No último jogo do Flu como dono de casa, antes do retorno ao Maracanã, o Tricolor acabou amargando um resultado ruim. Tendo o Internacional pela frente, em Macaé, o Time de Guerreiros pecou em lances individuais, tomando gols em falhar bizarras e acabou saindo de campo derrotado por 3 a 2.

Como de costume, Abel Braga manteve a estrutura tática do Fluminense, apostando na linha ofensiva formada por Rhayner, Sobis e Fred. Porém, o destaque inicial foi Jean, buscando sempre uma jogada mais aguda, partindo para cima do adversário. O camisa 9 das Laranjeiras surpreendia, buscando jogo fora da área, se movimentando mais do que o normal, com grande disposição física. Em contrapartida, o Inter esperava um erro para puxar contra-ataques, em sua maioria, perigosos.

O primeiro lance interessante dos comandados de Abel veio aos cinco minutos: Jean arrancou pela intermediária, tirou três da marcação e passa para Sobis. Tentando tirar do goleiro, o atacante manda uma bola buscando o canto direito, que passa próximo da trave. O Fluminense se mostrava veloz no setor ofensivo, mas pecava pela efetividade. O abafa continuava, aparentemente, de forma a envolver os gaúchos. Mas as falhar individuais e contra-ataques mudaram o rumo.

Aos 19 minutos, Forlán se desmarcou de Gum, apareceu livre na esquerda e, ao olhar para a grande área, viu D’Ale livre. Num lançamento sob medida, o camisa 10 bateu de primeira, cruzado. Sem chance a Cavalieri. O gol diminuiu o brio do Flu. Sentindo o golpe, a equipe ficou desorganizada, indo para o ataque sem muita estratégia. Quando parecia que, apesar da desconjunção do time, tudo estava bem absorvido, Digão capa uma bola fácil. Esperto, Forlan aproveita e não perdoa, fazendo o segundo do Colorado.

A recuperação do Flu veio num gol inesperado de Carlinhos, minutos depois. O lateral se antecipou à defesa colorada, diminuindo de cabeça para o Fluminense, depois de boa cobrança de falta de Rafael Sobis. Mas o dia era para lamentações. Logo depois do gol, o Tricolor se animou e quase empatou. Wágner, após triangulação rápida com Edinho e Sobis, apareceu cara a cara e desperdiçou chance de outro. Quatro minutos depois, o banho d’água fria: em escanteio fechado, cobrado por Forlan, Cavalieri vai mal na bola e se vê protagonista às avessas de um gol olímpico.

Na etapa final, a partida tomou outra direção. Apesar da falta de inspiração, o Fluminense sufocou o Internacional. Logo aos 7 minutos, uma bola rebatida na área, Fred diminuiu para 3 a 2. O duelo foi se arrastando. Muriel, goleiro do Colorado, tentava parar a partida a todo mundo, sem ser coibido contra o árbitro. Foi um “água mole em pedra dura”. Porém, apesar de tanto bater,  o bloqueio gaúcho não foi furado. Fred, Wágner, Sobis, todos tiveram chances e nada de gol. Por fim, os deuses do futebol deram sua mensagem ímpar, alardeando que não era dia de vitória do Flu: Já no tempo complementar, Fred subiu mais alto do que todo mundo, cabeceou, a bola desviou em Samuel e, por poucos centímetros, não entrou. Incrível. Xô, Macaé e seu gramado lamentável, que venha o Maracanã!