Com gol de placa de Kayky e oportunismo de Fred, Flu bate o Nova Iguaçu

Sem uma atuação exuberante, mas efetivo. O Fluminense encarou o Nova Iguaçu, no seu reencontro com o Maracanã, pelo Campeonato Carioca. Com golaço de Kayky e bom posicionamento de Fred e oportunismo de John Kennedy, a equipe verde, branca e grená bateu o Nova Iguaçu por 3 a 1. Com o placar, o Time de Guerreiros chega aos 16 pontos e se mantém no G4 do Estadual.

O Fluminense iniciou a partida dominando a posse de bola, mas de forma estéril. A equipe abusou, em determinados momentos, da bola longa, facilitando as interceptações do adversário. A primeira grande chance veio com Nenê, que quase fez um gol olímpico aos 7 minutos jogados.

O Fluminense funcionava bem melhor pelo lado direito com Calegari e Kayky, do que peço lado esquerdo com Egídio e Luiz Henrique. No meio, Nenê forçava algumas jogadas e Fred pouco chegava na bola. Mas no primeiro tempo, nenhum chute dado na direção do gol, diferente do que ocorreria na etapa complementar.

Aos 6 minutos da etapa complementar, um gol de gente grande: Kayky recebeu pela direita, passou por três jogadores com uma facilidade impressionante, deixou a marcação de bumbum no chão e mandou para o fundo das redes. Gol de placa no Maracanã com a assinatura de Xerém!

Dez minutos depois, numa triangulação espetacular de Nenê, Luiz Henrique e Fred, veio o segundo gol do Fluminense: o centroavante, debaixo das traves, não perdoou após assistência do “vovô”. Com este, o ídolo tricolor fica a dois gols de se tornar o segundo maior artilheiro da história do clube, além de ter atingido os 400 na carreira. O rival diminuiu logo depois num chutaço sem chances para Marcos Felipe.

Próximo de terminar o jogo, Lucca fez boa jogada pelo direito, achou Caio Paulista, que obrigou o arqueiro do Nova Iguaçu a fazer grande defesa! No rebote, John Kennedy não desperdiçou e deu números finais ao jogo: 3 a 1.

Jornalista: Ex-Flu, Wellington Nem fecha com o Fortaleza

Wellington Nem foi campeão carioca e brasileiro pelo Fluminense em 2012 (Foto Dhavid Normando - Photocamera)

Revelado nas categorias de base do Fluminense, o atacante Wellington Nem já tem um novo clube. De acordo com a jornalista do GE, Thaís Jorge, o atleta fechou com o Fortaleza.

Anteriormente, o jogador já havia sido oferecido ao Vasco da Gama e a outros cubes do país, mas não fechou negócio. Em sua última passagem pelo Flu, Nem não conseguiu ter boas atuações, em 2019.

Vale lembrar que seu grande momento foi em 2012, quando, titular do Tricolor, foi fundamental na conquista do tetracampeonato brasileiro.

Frazan está fora do jogo contra a Portuguesa

(Foto: Lucas Merçon - FFC)

O Fluminense terá nova dupla de zaga para a segunda rodada do Campeonato Estadual. Depois de perder Luan, que poderá passar por cirurgia, Frazan é a nova baixa para o confronto com a Portuguesa neste domingo, às 16h, no Maracanã.

O zagueiro Frazan sentiu uma lesão muscular durante os treinamentos e está fora do jogo. Luan Freitas fraturou o quinto metatarso do pé esquerdo e, assim, a dupla de zaga deve ser formada por Higor e um dos três: Davi, Geovani ou o recém-contratado Wiris.

Em contrapartida, Ailton Ferraz terá como opções ofensivas os atacantes Matheus Martins e João Neto e, possivelmente, de Ganso.

“Perder jogo me deixa puto”, comenta Egídio sobre a pressão da torcida

Ninguém gosta de sair de campo derrotada. Titular da lateral-esquerda do Fluminense, Egídio falou sobre isso em entrevista ao “Desimpedidos”. Além disso, o jogador comentou a respeito da pressão da torcida verde, branca e grená.

– Sou um jogador que você vai me ver de cantinho lá, ficando quetinho, pegando a bola e tocando de lado para não me expor. Eu não. Se eu estou defendendo essa camisa aqui que hoje é do Fluzão, eu vou querer que meu time sempre vença. Então, eu vou jogar para vencer, vou me expor em prol do meu time. Cada vez mais que você se expõe, vai mais ao fundo para cruzar, cruzar, cruzar, não vai acertar dez, quinze cruzamentos. Eu tenho muitas assistências na carreira por ir ao fundo e cruzar. Treino muito isso. E acho que é isso que acontece. Eu não me escondo. Quando tem de ajudar o time, eu vou. Esse é meu perfil. Gosto de jogar. Quem não tem medo, acaba às vezes sofrendo um pouco mais. Não me empolgo com elogios, mantenho os pés no chão. Quando vem a crítica, eu também não me abato. Eu me blindo com a minha família e sigo trabalhando para melhorar – disse e complementou:

– Perder jogo me deixa puto. No mais, eu sou muito mais alegre e descontraído. Brinco quando pode brincar, mas quando tem de ser sério, é seriedade – frisou.

Europa? “Penso em ficar no Fluminense por muito tempo”, afirma John Kennedy

John Kennedy desequilibrou no Fla-Flu do último sábado (Foto: Lucas Merçon - FFC)

Cria de Xerém e destaque no Fla-Flu do último sábado, John Kennedy sai do discurso comum de jovens jogadores com sonho de se transferir rapidamente para a Europa. O atacante afirma ter objetivos grandiosos pelo Fluminense antes de pensar numa eventual transferência.

— Eu penso em jogar no Fluminense por bastante tempo, penso em ganhar títulos antes de pensar em jogar fora do país. Penso no Fluminense primeiro – disse.

No último sábado, John Kennedy foi titular e fez os dois primeiros gols do Fluminense na vitória por 3 a 1 sobre o arquirrival. O outro foi de Abel Hernández.

Cria de Xerém e campeão brasileiro pelo Flu, atacante celebra grande momento na Tailândia

Samuel tem outros ex-tricolores como companheiros de time (Foto: Divulgação - Buriram)

Revelado em Xerém, campeão carioca e brasileiro em 2012, Samuel vive hoje excelente momento no Buriram United, da Tailândia. Por lá, fez gol e deu assistência na vitória de sua equipe por 2 a 1, no último domingo, fora de casa, sobre o Ratchaburi.

– Estou muito feliz com a partida que fizemos, com o gol e por ter ajudado o grupo neste difícil compromisso, que nos deixou na liderança da disputa. Estamos muito felizes com o momento positivo da equipe. Espero voltar a marcar mais vezes na disputa – disse.

O Buriram, de Samuel e outros ex-tricolores como o zagueiro Digão e o atacante Maicon Bolt, lidera o Tailandês com 22 pontos em nove jogos até aqui. O técnico da equipe também tem passagem pelo Fluminense. Trata-se de Alexandre Gama, que comandou a equipe das Laranjeiras em 2004.

Samuel defendeu o Fluminense entre 2012 e 2016. Fez 84 jogos e 15 gols.

Ex-Santos, David Braz comenta clima que espera na Vila Belmiro

David Braz diz que Fluminense terá de correr muito para sair de campo com a vitória (Foto: Mailson Santana - FFC)

Com duas vitórias nos últimos jogos (Athletico e Flamengo), o Fluminense tentará manter o embalo na partida frente ao Santos, quarta-feira, na Vila Belmiro, em duelo atrasado da 23ª rodada do Campeonato Brasileiro. Frente um adversário em momento complicado e na zona de rebaixamento, David Braz faz um alerta.

Zagueiro com passagem longa pelo Santos, David destaca que o ambiente na Vila, já com a presença da torcida, deverá ser carregado.

— Vila Belmiro é um estádio que cabe, por causa das reformas, uns 20, 25 mil. Mas quando enche e a torcida inflama lá fica até mais barulhenta que 40, 50, 60 mil no Maracanã. Sabemos a importância do jogo. O Santos vem num momento delicado, pressionado. E estamos num bom momento, mas não podemos achar que por conta disso vamos conseguir o nosso resultado. Teremos de correr e nos dedicar muito. Daqui para a frente é decisão para todas as equipes. Temos de nos preparar para enfrentar uma grande equipe, sempre difícil de ser batida dentro de casa – comentou.

Com 39 pontos, o Fluminense está em oitavo lugar no Brasileirão. Caso vença, subirá para a sexta posição. O Santos tem 29 e está em 17º.

Ganso já treina com bola no Fluminense

Fora de combate desde o dia 19 de agosto, quando sofreu uma fratura no rádio do braço direito, que o levou a passar por uma cirurgia, Ganso segue em seu processo de recuperação. Mas avança. Na segunda-feira, já treinou com bola e no campo do CT Carlos Castilho.

O clube, como de praxe, não divulga prazo estipulado para o retorno do atleta aos campos. Confira algumas imagens do camisa 10 na atividade:

Fotos de Mailson Santana – FFC

Flu e empresário de Ferraz não se entendem quanto ao motivo da não utilização do atleta

Matheus Ferraz não joga desde maio (Foto: Mailson Santana/FFC)

Ruído na comunicação? O zagueiro Matheus Ferraz, que teve o seu contrato renovado há alguns meses, devido a uma proposta da Chapecoense, segundo o presidente Mário Bittencourt, não vem sendo utilizado. Mesmo com a extensão do vínculo recente do defensor, o técnico Marcão tem preferido outros nomes. No último Fla-Flu, contudo, um desencontro de informações chamou a atenção.

O atleta sequer fora relacionado para o clássico, como não vem sendo relacionado em várias partidas, apesar de estar treinando normalmente, segundo o clube. Ainda conforme informação do Fluminense, após contato do NETFLU, sua ausência na lista de relacionados foi por opção da comissão técnica, que preferiu dar oportunidade ao jovem Luan. O empresário, porém, diz algo diferente.

Ao ser questionado pelo site número 1 da torcida tricolor, o agente Nilson Moura afirmou que o jogador não esteve na relação por conta de uma uma lesão. Ele foi duro nas palavras.

– Sentiu um desconforto na panturrilha e, para não correr risco nenhum, foi retirado da relação. Ele deve demorar uns 10 dias para entrar totalmente em forma. Você está bem mal informado. Estão te enganando – relatou.

Vale lembrar que, embora o novo vínculo de Matheus Ferraz vá até o final de 2022, o Fluminense não pretende contar com o jogador. David Duarte, do Goiás, já assinou um pré-contrato com o clube e atua na mesma função.

Ceará x Fluminense terá trio de arbitragem paulista

Raphael Claus apita o jogo no Castelão (Foto: Cesar Greco - Palmeiras)

A CBF já definiu as arbitragens para a 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. No que diz respeito ao Fluminense, a partida frente ao Ceará, domingo, às 16h, terá um trio paulista.

Raphael Claus (Fifa) apita o jogo, auxiliado por Danilo Ricardo Simon Manis (Fifa) e Evandro de Melo Lima.

Porém, antes disso, o Fluminense joga nesta quarta-feira contra o Santos, às 19h, na Vila Belmiro, em compromisso atrasado da 23ª rodada, com trio de arbitragem goiano comandado por Wilton Pereira Sampaio (Fifa).

Confira o quadro completo da arbitragem para Ceará x Fluminense:

Fim da 28ª rodada do Brasileiro; veja resultados e classificação

Fluminense está em oitavo lugar no Brasileirão (Foto: Lucas Merçon - FFC)

Dois jogos na noite de segunda-feira fecharam a 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Fluminense foi a campo no sábado e venceu o Flamengo por 3 a 1, no Maracanã. Confira todos os resultados e a classificação atualizada:

SÁBADO
Santos 0 x 2 América-MG – Vila Belmiro
Juventude 0 x 0 Ceará – Alfredo Jaconi
Fluminense 3 x 1 Flamengo – Maracanã
Fortaleza 3 x 0 Athletico – Castelão

DOMINGO
Atlético-MG 2 x 1 Cuiabá
Internacional 2 x 2 Corinthians
Bragantino 1 x 0 São Paulo
Bahia 3 x 0 Chapecoense – Fonte Nova

SEGUNDA
Atlético-GO 2 x 0 Grêmio – Antônio Accioly
Palmeiras 2 x 1 Sport – Allianz Parque

CLASSIFICAÇÃO

Arte: CBF

Marcão iguala o número de jogos de 2020; confira os desempenhos

Por ora, Marcão tem aproveitamento pouco superior a 52% (Foto: Lucas Merçon - FFC)

Pela terceira temporada consecutiva, Marcão assumiu o Fluminense no decorrer após a saída de um técnico. Membro da comissão permanente, o treinador acaba de igualar o número de partidas de 2020. Novamente na disputa por uma vaga na Libertadores, os números são similares, segundo levantamento do site ge.

Desde a saída de Roger Machado, demitido após a eliminação na Libertadores, Marcão esteve à frente do time na beira do gramado em 14 oportunidades. São seis vitórias, quatro empates e quatro derrotas. O aproveitamento é de 52,4%.

Na temporada passada, quando Odair Hellmann aceitou convite para assumir o Al Wasl, dos Emirados Árabes, Marcão conseguiu desempenho um pouco melhor nos 14 primeiros jogos. Sete vitórias, quatro empates e três derrotas. Aproveitamento de 59,2%.

Confira os números de Marcão como técnico tricolor nas diferentes temporadas em que ele esteve à frente da equipe:

Temporada 2021 – 14 jogos (até aqui):
✅ 6 vitórias
⏸️ 4 empates
⛔ 4 derrotas
📊 Aproveitamento de 52,4%
Temporada 2020 – 14 jogos:
✅ 7 vitórias
⏸️ 4 empates
⛔ 3 derrotas
📊 Aproveitamento de 59,5%
Temporada 2019 – 18 jogos (2 como interino)
✅ 7 vitórias
⏸️ 7 empates
⛔ 4 derrotas
📊 Aproveitamento de 51,9%
Temporada 2016 – 6 jogos (todos como interino):
✅ 2 vitórias
⏸️ 2 empates
⛔ 2 derrotas
📊 Aproveitamento de 44,4%

Depois de sequência “pesada”, Flu se prepara para duelos contra times da parte de baixo

Foto: Lucas Merçon/FFC

Depois de uma sequência contra equipes da metade de cima da tabela do Brasileirão, o Fluminense agora se prepara para enfrentar times que ocupam a zona mais baixa de classificação. O Tricolor enfrentou Corinthians, Athletico-PR e Flamengo, conquistando seis de nove pontos disputados.

A sequência agora será contra Santos (17º), Ceará (14º), Sport (18º) e Grêmio (19º). Destes, porém, apenas o Sport será em casa, no Maracanã. Os outros, o Time de Guerreiros visitará na Vila Belmiro, Castelão e Arena do Grêmio, respectivamente.

No primeiro turno, o Flu perdeu apenas para o Grêmio (1 a 0) dentre esses adversários e empatou com o Ceará (0 a 0). ​Venceu Santos (1 a 0) e Sport (2 a 1). Com 39 pontos na tabela de classificação, o Flu encostou no G6 do Campeonato Brasileiro e pode entrar nele nesta quarta.

Mascote Guerreirinho não tem previsão de retorno ao Fluminense

Foto: Lucas Merçon - FFC

Ostentando uma cabeça nada discreta e portando capa e escudo, o Guerreirinho não é uma presença difícil de ser notada. Mascote do Fluminense desde 2016, se tornou a sensação em eventos com torcedores, ações sociais e até atrás dos jogadores durante entrevistas para a TV. Mas o carismático boneco “sumiu do mapa” há três temporadas.

O NETFLU entrou em contato com o clube para entender a situação. Sem dar maiores detalhes, a assessoria institucional do Fluminense respondeu que o personagem estaria passando por uma reformulação, mas não deu um prazo para o seu retorno.

O Guerreirinho surgiu após uma pesquisa realizada em 2011. A ideia era modernizar o produto e isso coincidiu com a marca do “Time de Guerreiros”. Porém, o mascote caiu no esquecimento em 2018. O contrato do Fluminense com a empresa parceira que custeava a fantasia e uma equipe se encerrou. Dali em diante, nenhuma palavra sobre.

Cabe ressaltar que o contrato de operação do mascote era sem custo para o clube. Ou seja, uma empresa parceira (CSM) bancava a fantasia, transporte, alimentação e uma equipe de três pessoas. Este contrato foi encerrado e o clube precisou internalizar toda a operação. Este processo não foi autorizado na época e hoje o Fluminense trabalha para a reaparição do personagem com uma fantasia nova, de melhor qualidade e uma operação mais enxuta.