A sina continua: Flu perde mais um clássico e vê G4 longe

A sina continua: Flu perde mais um clássico e vê G4 longe

Wágner tentou armar as jogadas para o Fluminense (Foto: Photocamera)
Wágner tentou armar as jogadas para o Fluminense (Foto: Photocamera)

Triste rotina a do Fluminense em 2013. Atual campeão brasileiro, o time segue sem vencer nem um clássico sequer na temporada. O beneficiário da vez foi o Vasco. Em partida disputada na Ressacada, em Florianópolis, o rival, que luta contra o rebaixamento, fez 1 a 0 e deu uma respirada em sua luta inglória. Já o Tricolor vê o G4 cada vez mais longe e tem de abrir o olho para também não ter de brigar para não cair.

Desorganizado, o Fluminense viu o Vasco tomar conta das ações no início da partida. Com Marlone e Francismar puxando as jogadas, o adversário mandava no jogo. Não demorou e o rival saiu na frente após Marlone levantar cobrança de falta na área, a defesa tricolor cochilar e Cris empurrar de cabeça para dentro.

Atônita com o início ruim, a equipe do Flu seguia assistindo ao Vasco jogar e, não fosse Kléver fazer brilhante defesa em chutaço de fora de Francismar, espalmando na trave, o quadro teria piorado.

Aos poucos, o time verde, branco e grená começou a melhorar. Wágner passou a distribuir bem as jogadas, mas, na frente, Rhayner e Biro Biro corriam muito e produziam pouco, enrolando-se na maioria das vezes que tinham a bola em seus pés e tentavam partir para cima. As chances, porém, passaram a aparecer. Wágner, duas vezes, e Jean quase empataram. Em todas as ocasiões pararam nas mãos de Diogo Silva.

Tal reação, no entanto, não foi suficiente para convencer Vanderlei Luxemburgo. Suspenso, o técnico viu o primeiro tempo das tribunas da Ressacada e aproveitou o intervalo para ir ao vestiário, dar uma bronca na equipe e fazer logo as três substituições, sacando Igor Julião, Rhayner e Biro Biro para as entradas de Felipe, Diguinho e Samuel, respectivamente.

As alterações até fizeram o time crescer. Felipe melhorou a qualidade no passe e o Fluminense ganhou volume. Faltava, porém, criar chances incisivas de marcar. Sobis e Bruno, em finalizações de fora da área, ameaçaram. O rival contentava-se em defender e sair nos contra-ataques. Assim, ameaçou em chute de André que passou perto.

O jogo, então, ficou pegado e com muitas faltas. Tudo isso, favorecia ao Vasco, que não queria mais jogar e tinha como intenção fazer o tempo passar. Nos minutos finais, o Fluminense partiu para o abafa e mandou muitas bolas na área adversária. Mas isso acabou sendo muito pouco para quem queria buscar o placar.


Sem comentários