A xepa tricolor

Fala, galera!

Quem tem o costume de ir a feira sabe bem o que é a xepa. É aquele horário do dia em que o movimento já baixou e apenas estão nas bancas os produtos mais baratos, pois o comerciante quer se livrar. Para economizar, é a melhor hora de buscar as frutas e os legumes.

Precisando fazer caixa, a situação do Fluminense anda bem parecida com a xepa. Ou seria uma espécie de Ricardo Eletro, onde o patrão ficou maluco? Richarlison foi embora para o Watford por 12,5 milhões de euros com pagamento parcelado, no melhor estilo Casas Bahia. O mesmo deve acontecer com Wendel, por 10 milhões de euros em duas vezes (sem juros). Isso no mesmo PSG da França que pagou quase 1 bilhão de reais à vista por Neymar.

Wendel deve trocar o Flu pelo PSG

Recentemente o Real Madrid pagou 45 milhões de euros por Vinicius Júnior do Flamengo, que nada mostrou no profissional ainda. Richarlison, muito mais preparado, foi comercializado por um valor bem abaixo da promessa do rival. Com Wendel, talvez a maior revelação de Xerém depois de Marcelo, a história se repete. Ao que tudo indica, mais um que vai embora em liquidação. Para constatar que será um mal negócio, basta comparar à venda de Douglas do Vasco da Gama. Mesma posição de Wendel, ele foi vendido a 15 milhões de euros para o Manchester City da Inglaterra.

Sabemos que a herança da gestão anterior não foi boa. O Fluminense não tem dinheiro para manter as contas em dia e, para piorar, até então, é incapaz de gerar novas receitas. Seja com patrocínio master, bilheteria, entre outros. No entanto, não é vendendo os atletas a preço de banana que vamos solucionar os problemas.

No sábado, teremos o Vasco pela frente no Maracanã, em busca do G6. O ingresso já está na mão, mas, honestamente, esses problemas de bastidores desanimam. Chegando lá, cantarei durante os 90 minutos, mas está difícil se manter motivado com toda essa situação.

Saudações!