Prazo dado pela Fifa para Fluminense quitar venda pela compra de Marquinho se encerrou em março (Foto: Nelson Perez - FFC)

Além de visitar o Samorin, na Eslováquia, Pedro Abad teve outro compromisso na Europa recentemente. Encontrou-se com Giampaolo Pozzo, presidente da Udinese, na tentativa de um acordo para o pagamento da dívida pela compra do já dispensado pelo Fluminense Marquinho. Não houve sucesso.

Os dirigentes estreitaram o canal de negociação (anteriormente havia sido aberto pelo telefone). No encontro, Abad explicou as dificuldades financeiras tricolores, mas ainda não houve um consenso. O presidente da agremiação italiana afirmou não ter interesse em nenhum jogador do Flu neste momento. Dar prioridade de compra ao clube italiano era uma alternativa para encerrar o débito de 1,3 milhão de euros (R$ 5,4 milhões).

A procura à Udinese foi decisão do Fluminense, pois se encerrou o prazo estabelecido pela Fifa para regularizar a situação. O Tricolor tinha até o fim de março. Os italianos recorream à entidade máxima do futebol, iniciando, assim, o risco do Flu sofrer sanções.

Marquinho foi contratado em 2016 pelo ex-presidente Peter Siemsen. À época, acertou a compra dos direitos econômicos de Marquinho pela quantia de 1 milhão de euros (R$ 4,1 milhões pela cotação atual). O pagamento estava previsto para ser executado em 2017, após seu mandato. A dívida aumentou em virtude dos juros.