Ex-vice-presidente de Tecnologia da Informação do Fluminense, Marcelo Porto, lançou uma nota desmentindo um parecer oficial do clube que daria a ele responsabilidades sobre o cadastro de sócios. Em print retirada do Whatsapp, mostra que não era contra o recadastramento dos afiliados do clube. Veja a nota na íntegra do ex-dirigente, que se desligou do cargo e passou a apoiar o candidato Mário Bittencourt.

 

Com relação a matéria do O Globo (http://oglobo.globo.com/esportes/fluminense-contesta-reportagem-do-globo-sobre-lista-com-erros-ate-socio-morto-20528478) que reproduz e-mail enviado aos sócios do Fluminense Football Club gostaria de esclarecer que nunca foi atribuição da Vice-Presidência da TI a guarda e gestão do cadastro de sócios.

Estas foram as atribuições da Vice-Presidência de Tecnologia de Informação na sua criação no dia 07/07/2014.

a- Organizar, gerir e orientar todo o trabalho da Área de Tecnologia de Informação.

b- Ser responsável pela prospecção, implementação e homologação de soluções de hardware, software, rede de comunicação e segurança da informação do clube.

c- Fiscalizar os serviços prestados na área de tecnologia da Informação, sendo terceirizado ou não.

d- Estabelecer metodologia de substituição de hardware, software e segurança da informação em função de depreciação, ou obsolescência, pelos que mais se adaptem às necessidades do clube observada a relação custo benefício.

e- Manter a política de acessos a sistemas, internet e segurança da informação.

f- Prover apoio aos usuários e outros departamentos do clube para utilização dos sistemas.

Entretanto esta atribuição já é determinada capitulo X art. 56 do Estatuto do clube que estabelece as atribuições dos membros do conselho diretor. Entre essas atribuições confere ao Tesoureiro o item:

e) Manter sob controle administrativo a situação do Quadro Social, estando apto a informar sobre os Sócios licenciados, os desligados, os em dia e os em atraso.

Sobre ser contra o recadastramento de sócios recomendo que todos os membros do conselho diretor recorram ao grupo do Whatsapp “Conselho Diretor” ao dia 19/04/2016 em que o assunto foi abordado e que o presidente me acusou de ser contra o procedimento e esclareci que não era. Para constatar tal fato segue tela em que pode-se ver no trecho da conversa

2

Portanto espero que novas inferências ao meu nome não voltem a acontecer.

Atenciosamente,

Marcelo Porto