Um dos nomes cogitados para compôr o elenco do Fluminense na próxima temporada é do atacante Caíque, do Guarani. No entanto, contratação do jogador depende de um novo projeto de futebol que está sendo analisado. Para 2019, o Tricolor planeja a formação de uma equipe de aspirantes, visando auxiliar na transição e desenvolvimento dos atletas jovens e emprestados do elenco.

– Caíque não está contratado. Desde que cheguei no Fluminense, falo de transição da base para o profissional, de termos uma equipe de treinamento de transição. Prefiro chamar de aspirante por uma unica razão: as vezes você tem um jogador, como o Caique, que o monitoramento feito acredita no jogador. Ele viria justamente para a equipe de transição, ainda precisa ser visto um pouco mais, apesar da idade (Caíque tem 25 anos) – disse o diretor de futebol Paulo Angioni ao portal LANCE.

Caíque seria contratado para ser testado no time de aspirantes. A ideia é utilizar alguns dos atletas que atualmente estão emprestados ou que estouraram a idade da categoria sub-20 e ainda não vão ser utilizados no profissional. Com isso, o clube monitora de perto o desenvolvimento dos jogadores e não gastaria dinheiro em contratações, dedicando as finanças para o elenco principal.

Para que a ideia vá para frente, ainda é necessária a construção do campo 3 do CT Pedro Antônio. A obra já estava prevista e o clube já tem o dinheiro para concretizá-la. Existe também a expectativa de disputar o Brasileirão de aspirantes em 2019, mas seria necessária uma adequação do calendário da CBF.

– O futebol brasileiro começou a maturar jogador até 18 anos e isso trouxe um prejuízo imenso. E a maturação de alguns jogadores se dá até os 24 anos. Seria algo paralelo ao projeto do Samorín, mas sem descontinuar o projeto inicialmente. A mão de obra eu tenho toda dentro do Fluminense. Treinador, comissão técnica, toda será do Fluminense. O time já existe, mas não está alinhado como aspirante – finalizou Paulo Angioni.