“Asfixiado”, Fluminense vai à Brasília em busca de apoio político

“Asfixiado”, Fluminense vai à Brasília em busca de apoio político

Peter espera por boa vontade da União para que Flu honre seus compromissos

Abarrotado de dívidas e penhoras,  o Fluminense, ao contrário de seus rivais, não tem o respaldo da Procuradoria Nacional de Fazenda Nacional. Vendo o privilégio aos adversários, o presidente do clube, Peter Siemsen, irá a Brasília em busca de apoio político.

O mandatário do clube carioca mais vitorioso dos últimos anos encontrará senadores e representantes do Ministério da Fazenda e lhe apresentará uma proposta de pagamento das dívidas que permita ao Tricolor quitar seus compromissos. Dos políticos, informa o portal Uol, Peter ouviu promessas de ajuda, tanto na discussão da dívida, quanto nas últimas penhoras, em especial da venda do atacante Wellington Nem.

Com débito de mais de R$ 30 milhões, o Fluminense buscou um acordo para que a dívida com a União fosse parcelada em quatro ou cinco anos, com prestações mensais de pouco mais de R$ 1 milhão. A proposta foi rejeitada pela Procuradoria de Fazenda.

Entretanto, em março deste ano, o Flamengo conseguiu o acordo para pagamento da dívida com a Fazenda em parcelas,  a mesma situação pleiteada pelo Flu. Enquanto isso, o Vasco está muito próximo do mesmo trato para obter as Certidões Negativas de Débito e anunciar o patrocínio de R$ 20 milhões da Caixa.