No dia 26 de janeiro, os sócios do Fluminense votaram pelo “sim” da mudança estatutária, através de uma Assembleia Geral, viabilizando a antecipação das eleições à presidência do clube. O desejo inicial, manifestado pelo mandatário Pedro Abad, porém, ainda não tem data para acontecer, embora muitos esperem que o pleito ocorra no mês de março. Para que as eleições sejam convocadas, é necessário que a ata passe por registro em cartório, mas este processo sequer foi iniciado ainda.

NETFLU entrou contato com o presidente do Conselho Deliberativo, Fernando César Leite, que deu mais detalhes sobre a situação atual.

– A ata vai estar disponível para o clube essa semana. Depois é com o clube, não é comigo. Depende do cartório, mas pelo que me falaram… como é uma ata material, aí já viu, né? Primeiro tem que registrar essa ata. A ata que foi feita na Assembleia com todas as questões vai ser entregue essa semana, depois vai ser levada para o registro de pessoas jurídicas, para poder fazer a mudança do estatuto. Não tem como mudar o estatuto sem estar registrado. Depois disto, o Abad vai encaminhar pra mim, pedindo a antecipação das eleições e a gente marca – contou.

Questionado sobre o tema pelo site número um da torcida tricolor, Pedro Abad, que concedeu entrevista aos jornalistas após a Assembleia Geral, demonstrava otimismo e paciência. Sem dar nenhum tipo de prazo, ele salientou que a prioridade era o registro da ata. Confira:

Os principais possíveis candidatos à sucessão de Abad são Mário Bittencourt ou Ricardo Tenório (Triunvirato) e Pedro Antônio (ainda sem um grupo definido). Corre por fora Diogo Bueno, ex-vice financeiro ou seu pai, Júlio Bueno, antigo player político tricolor.