MARCOS FELIPE – NOTA: 7,0
– Fez duas grandes defesas que ajudaram o Flu a não sair com um resultado pior do Maracanã, ambas em chutes de Claudinho. Pela atuação de hoje, merece ganhar sequência na equipe titular na vaga de Muriel.

CALEGARI – NOTA: 5,0
– Tímido no apoio, cresceu um pouco mais na segunda etapa após a entrada de Caio Paulista, que fez “dobradinha” com ele pela ponta. Atrás, não comprometeu.

LUCCAS CLARO – NOTA: 6,0
– Deu uma vacilada ainda no primeiro tempo que quase custou caro para o Flu, mas recuperou-se no decorrer da partida e teve mais uma boa atuação, principalmente pelo alto.

MATHEUS FERRAZ – NOTA: 6,5
– Seguiu o lema “bola para o mato que o jogo é de campeonato”. Seguro atrás, não quis saber de brincadeira e foi perfeito nas coberturas, tirando uma em que chegou atrasado e foi obrigado a fazer a falta.

IGOR JULIÃO – NOTA: 5,0
– Jogando improvisado na esquerda, teve bastante trabalho com as subidas em velocidade do time adversário pelo seu lado do campo, mas virou-se bem. Ficou devendo no apoio, mas atuando fora de posição é compreensível.

ANDRÉ – NOTA: 5,5
– Mostrou-se um pouco nervoso no começo do jogo e perdeu uma bola que quase gerou o gol adversário em um contra-ataque. Depois desse lance, conseguiu fazer uma atuação regular e foi bem na marcação.

MARTINELLI – NOTA: 5,5
– A exemplo de seu companheiro André, iniciou o jogo bem nervoso. Também pudera, já que fazia sua primeira partida nos profissionais. Passados os minutos iniciais, mostrou um bom futebol e chamou atenção pelas viradas e visão de jogo. Tem futuro.

NENÊ – NOTA: 2,0
– Pior do time disparado. Fez péssima partida e errou absolutamente tudo que tentou no primeiro tempo: passes, escolhas, bolas paradas etc. Prendeu demais a bola, retardou o jogo e desperdiçou a melhor oportunidade no “presente” que recebeu do goleiro Cleiton. Bem substituído no intervalo.

MARCOS PAULO – NOTA: 4,0
– Fez um mau primeiro tempo, mas cresceu um pouco de produção na segunda etapa após a entrada de Luiz Henrique, que foi para a ponta e o deslocou para o meio. Perdeu uma chance de ouro em que demorou para finalizar e foi travado.

WELLINGTON SILVA – NOTA: 3,0
– Não esteve em uma noite feliz em suas arrancadas. Parou na marcação todas as vezes e não conseguiu levar o Fluminense a frente. Também substituído no intervalo.

LUCCA – NOTA: 3,0
– Deu apenas uma finalização logo no começo do jogo e depois praticamente não foi mais visto em campo. Atuou pela ponta e centralizado, mas não conseguiu render em ambas as posições.

(FELIPPE CARDOSO) – NOTA: 3,5
– Foi o Felippe Cardoso de sempre, em que a bola bate e volta. Não conseguiu prender a bola na frente em nenhum momento. Mostrou vontade e é um atleta voluntarioso, mas falta técnica. Atuação fraca.

(LUIZ HENRIQUE) – NOTA: 4,5
– Dos que entraram, foi o que rendeu melhor. Buscou as jogadas mano a mano pelos lados do campo e levou o Flu ao ataque. Merecia ser titular da equipe, mas Odair, aparentemente, tem outras preferências.

(CAIO PAULISTA) – NOTA: 4,0
– Mais um que, assim como Felippe Cardoso, é voluntarioso e brigador. Mas não teve atuação tão ruim. Ao menos usou sua velocidade e incomodou mais a defesa adversária com sua agilidade e força física

(GANSO) – NOTA: 4,5
– Cadenciou um pouco mais o jogo e conseguiu prender mais a bola na frente, que era o que faltava ao Flu. Deu bons passes, fez a bola rodar e teve uma atuação melhor do que as que vinha apresentando. No entanto, ainda está muito longe do que a torcida espera

(NASCIMENTO) – SEM NOTA
– Entrou nos minutos finais e pouco tocou na bola

ODAIR HELLMANN – NOTA: 3,5
– Os desfalques prejudicaram, é bem verdade, mas a forma como montou a equipe não foi a melhor. Jogou, nitidamente, para se defender primeiro (e não levar gols) e atacar quando (e se) desse. O Flu deu apenas um chute na direção do gol durante os 90 minutos e foi nulo na criação de jogadas. Luiz Henrique não pode ser reserva. Miguel é enfeite no banco? Pelo menos acertou ao sacar Nenê no intervalo, mas precisa ser menos medroso. Não dá para atuar recuado contra o Bragantino em casa, com todo o respeito.