PEDRO RANGEL – NOTA: 5,0

– Não teve culpa nos gols que sofreu, mas ainda demonstra insegurança na equipe profissional.

DANIEL LIMA – NOTA: 4,0


– Correu muito, pensou pouco. Ficou vendido num dos gols da Portuguesa e teve atuação ruim, como todo o sistema defensivo tricolor.

RAFAEL RIBEIRO – NOTA: 3,0

– Invenção da diretoria tricolor. Sem condição alguma de ser titular, também falhou num dos gols do adversário.

(METINHO) – NOTA: 5,0

– Entrou na fogueira, quando o Time de Guerreiros já perdia por 3 a 0 para o adversário. Tentou concatenar jogada, correu muito, mas a desorganização do time não ajudou.

HIGOR – NOTA: 4,0

– Atuação no nível do restante do sistema defensivo. Sofreu com o ataque da Portuguesa.

RAÍ – NOTA: 5,0

– Mostrou que sabe jogar bola, mas ainda precisa evoluir no que tange a ocupação de espaços, para evitar brechas.

ANDRÉ – NOTA: 5,0

– O desentrosamento com o restante do meio de campo era visível, mesmo tentando manter a dinâmica.

CAIO VINÍCIUS – NOTA 3,5

– Não voltou bem, depois de um período de empréstimo. Erros bobos, desatenção e pouca técnica.

GABRIEL TEIXEIRA – NOTA: 6,0

– É notório que tem qualidades, busca o jogo, arrisca não desiste. Parece que vai ser muito útil.

(MATHEUS MARTINS) – NOTA: 5,0

Não conseguiu manter o ritmo do companheiro, mas muito em função do jogo como estava desenhado, com o Flu desorganizado buscando o ataque.

GANSO – NOTA: 6,5

– Peça fundamental do time, quase fez um gol de placa e, enquanto teve gás, criou as principais chances.

SAMUEL – NOTA: 3,5

– Perdeu um gol que fez parte da torcida sentir saudades de Felippe Cardoso. Não estava num bom dia.

(NASCIMENTO) – NOTA: 5,0

– Entrou para ajudar a fechar os espaços no meio de campo e conseguiu cumprir a tarefa, mas o jogo já estava perdido.

JHON KENNEDY – Nota: 5,5

– Se movimentou, perdeu chances, uma por puro preciosismo e pareceu exagerar quando poderia fazer o simples. Ainda assim, é uma boa opção.

(ALEXANDRE JESUS) – NOTA: 5,5

– Correria, potência física, mas ainda precisa amadurecer. Pode ser útil se pensar mais antes de agir.

AILTON – NOTA: 4,0

– Não conseguiu dar padrão de jogo ao time, misturando atletas de várias categorias. Pelo menos fez Ganso jogar mais perto do gol.