Balancete do primeiro trimestre aponta 50% do prejuízo com EOs e Social

O Fluminense divulgou na última segunda-feira o balancete financeiro do primeiro trimestre de 2021. O resultado financeiro dos meses de janeiro, fevereiro e março foram exibidos no Portal da Transparência e trouxe um dado preocupante: Quase 50% do prejuízo do período foi com Esportes Olímpicos e Social.

O documento registra um déficit de R$ 6.476.307,00. As duas pastas juntas representaram um prejuízo de R$ 3.232.514,00, portanto, 49,91% do total. Isso significa que EOs e Social têm um déficit para o Fluminense de mais de R$ 1 milhão por mês. Mantendo essa média, o Tricolor fecharia 2021 com quase R$ 13 milhões negativos nos Esportes Olímpicos e Social.

A efeito de comparação, segundo informou o portal GE, a Betano, nova patrocinadora master, pagará ao Fluminense R$ 15 milhões por um contrato de dois anos. O valor mensal, portanto, será de R$ 625 mil.

O prejuízo dos Esportes Olímpicos foi de quase R$ 2,5 milhões, do futebol pouco mais de R$ 1,5 milhão, Xerém, R$ 1,7 milhão, e Social, mais de R$ 750 mil. Veja abaixo: