(Foto: Divulgação/ACG)

Em entrevista ao programa “Cara a tapa”, do jornalista Rica Perrone, no YouTube, o técnico Eduardo Barroca, atualmente sem clube, comentou sua relação próxima e especial com Paulo Angioni, diretor executivo do Fluminense. Segundo o treinador, o dirigente foi quem mais lhe ensinou sobre o meio do futebol. Os dois trabalharam juntos no Bahia, quando Barroca recebeu sua primeira oportunidade como técnico, aos 28 anos.

– A pessoa que mais me ensinou sobre futebol foi o Paulo Angioni, que hoje é diretor executivo no Fluminense. Não só sobre futebol, mas sobre a vida. Foi quem mais me ensinou sobre a vida no futebol. Quando eu estava iniciando, ele me pegou, me deu oportunidade e me mostrou qual era o lado do clube nas ações que o treinador geralmente tem a visão só de um lado. Ele conseguiu me mostrar isso. Foi uma experiência espetacular – contou Barroca, continuando:

– Eu estava no Corinthians, trabalhava na base, e depois fui para o Bahia para ser auxiliar técnico do Rogério Lourenço. Cheguei lá e um mês depois o trabalho não deu certo. O Paulo (Angioni) foi na minha casa depois de uma derrota no clássico para o Vitória, conversou comigo e com o Lourenço e encerrou o trabalho. Eu agradeci, mas ele falou: “Não, você vai ficar. Quero que você fique para me ajudar”. Eu falei: “Não. Eu vim com o Rogério e vou embora junto com ele”. Mas o Rogério tem o Paulo como um pai, ele o ajudou muito na época que era jogador. Ele (Rogério) me pediu e acabou que eu não só fiquei, mas me tornei treinador no Bahia aos 28 anos. A partir daquele momento, o Paulo Angioni passou a me orientar, me explicar e me mostrar muita coisa. Esse cara foi muito especial na minha vida por ter me mostrado um ângulo que nenhum outro poderia me mostrar dentro do clube de futebol – encerrou.