Presidente da Ferj queria que Mário Bittencourt respondesse criminalmente por ter "extrapolado o direito de expressão" (Foto: Reprodução do Instagram)

Mário Bittencourt esteve na sede da CBF na tarde de quarta-feira. Por lá, o mandatário do Fluminense se reuniu com o presidente e o secretário-geral da entidade, Rogério Caboclo e Walter Feldman, respectivamente. Na pauta do encontro, o cartola tricolor apresentou sugestão para a confederação levar à Fifa na tentativa de alterar a legislação para jovens jogadores.

Isso porque a Lei Pelé permite a atletas de 16 anos assinarem contratos de cinco temporadas e a federação internacional limitá-los a três.

– Recebemos a visita do presidente Mário. A sugestão foi recebida pelo presidente Caboclo, que convocou o diretor Buzzoni para compilar os dados atualizados sobre o papel do Brasil no cenário mundial, para dialogar com a Conmebol e a Fifa sobre estas sugestões – confirmou Feldman.

Mário Bittencourt saiu da sede da CBF satisfeito com o encontro.

– O presidente Rogério Caboclo e o Walter Feldman me receberam muito bem e ficaram extremamente sensibilizados com o nosso pleito. A CBF levará a questão à Fifa para que se inicie um debate sobre a possibilidade de mudança, que seria fundamental para manutenção dos atletas brasileiros por mais tempo em nosso país e em nossos clubes. Estou bastante esperançoso de que possamos modificar essa regra e assim proteger os clubes brasileiros dessa enorme desigualdade com relação aos clubes europeus – ponderou.

O Fluminense está em vias de ver Marcos Paulo sair de graça para o Atlético de Madrid, da Espanha, com o qual já assinou pré-contrato, em junho. Além disso, do futebol europeu surgiram propostas pelas joias Kayky e Metinho. O clube tenta renovar os vínculos de ambos, mas, agenciados pela mesma empresa, o atacante e o volante recusaram.

Tanto Kayky quanto Metinho possuem compromisso com o Fluminense até 30 de dezembro de 2022.