Foto: Lucas Merçon/FFC

A maneira como Cazares embalou o Fluminense no decorrer do empate em 1 a 1 com o Flamengo, no jogo de ida da final do Carioca, pode traçar um novo caminho para o meia nas Laranjeiras. Lançado no lugar de Nenê no intervalo, o equatoriano se tornou um dos símbolos da resiliência da equipe na partida do último sábado já fez o técnico Roger Machado indicar que a equipe pode mudar sua rotação para as próximas partidas.

– Tudo é possível – destacou o comandante.

Ao entrar em campo após uma etapa inicial na qual a equipe tricolor pouco incomodou a defesa rubro-negra, o camisa 11 soube dar força esperada ao setor ofensivo. Além de municiar com mais precisão a linha de frente, Cazares tornou as trocas de passes e lançamentos mais rápidas. Inclusive, foi mais cirúrgico ao tentar alçar bolas para a área adversária.

O fato do equatoriano partir mais para cima dos adversários contribuiu para o Fluminense deixar a zaga do Flamengo mais desnorteada em um momento no qual a equipe mudou todo seu setor ofensivo.  

A boa pontaria de Cazares na bola aérea também culminou no gol de empate. No rebote de um escanteio que ele cobrou, Egídio alçou para a área e, após desvio de Luiz Henrique, Abel Hernández igualou o placar no Maraca.