Lei sem obrigar clubes a comprovarem pagamento de salários em dia desagrada ao Bom Senso (Foto: Divulgação)
Lei sem obrigar clubes a comprovarem pagamento de salários em dia desagrada ao Bom Senso (Foto: Divulgação)

Vários clubes do futebol brasileiro tentam em Brasília convencer deputados a votarem e aprovarem a Lei de Responsabilidade Fiscal, que tratará a renegociação de dívidas das entidades esportivas com a União, rapidamente. Porém, uma guerra interna acontece e representantes do Bom Senso FC tentam barrar tal aprovação.

Tanto que um grupo de líderes do movimento vai a Brasília para isso. Por considerarem a lei frouxa nas contrapartidas aos clubes pelo fato do projeto não prever a comprovação dos salários em dia, jogadores como Dida, Barcos e Alex, tentarão o apoio do deputado federal Romário (PSB-RJ), com quem participarão de uma reunião, para evitar que o projeto seja votado como está.

Líder da Comissão de Clubes criada pela CBF para tratar do assunto, o presidente do Coritiba, Vilson Andrade, não acredita que o projeto seja aprovado rapidamente.

– Muitas arestas não foram aparadas, e não adianta votar o projeto assim. Levaria a um desgaste de todos os lados. Alguns pedidos do Bom Senso são impossíveis, outros pedidos dos clubes também são difíceis. Não vejo como o projeto possa ser votado em breve – explicou.


Sem comentários