(Foto: Leandro Dias/NETFLU)

Se o Fluminense está atolado em dívidas, Diogo Bueno afirma ter um plano para o longo prazo. O vice-presidente de finanças espera fazer a “securitização de dívida”. O dirigente explica do que se trata.

– Eu estive em Londres agora buscando isso. Conversei com dois gestores de fundos, que operam no futebol. Eles querem vir para o Brasil. Quero alongar a dívida. Quero trazer instrumentos do mercado financeiro para comprar a dívida do clube mediante gestão que tem credibilidade. É o caminho que o nosso maior concorrente adotou. Não estamos inventando nada. O Fluminense precisa viver mais 100 anos. Vou pegar o pacote de dívidas civil e trabalhista e vender isso para alguém. Em troca de capital. Todas essas dívidas vencem até 2021. Então, com esse nível de receita que tenho, eu vivo sempre no aperto. Preciso de um investidor que confie no trabalho, pague isso tudo agora. E eu alongue para, por exemplo, 2024. Aí, alivio o meu fluxo de caixa – disse, garantindo também já ter fundo interessado na operação:

– Ter pessoas sérias tocando a gestão é diferencial. Eu diria que está perto. Estive em Londres falando com um fundo, que tem 1 bilhão de euros operando em dívidas no futebol. Eles propuseram, eles querem entrar no Brasil. A vantagem deles é receber juros. Eu posso eliminar os R$ 21 milhões de déficit previstos com isso.