(Foto: Nelson Perez/FFC)

Desde que assumiu a presidência do Fluminense, Pedro Abad trabalhou para cortar gastos e em 2018 reduziu drasticamente a folha salarial. Com a temporada se aproximando do fim, o mandatário já olha para 2019, o último ano de mandato no clube, e planeja continuar investimento pouco, mas continuar reforçando a equipe com jogadores capazes de competir.

– Eu acho que no final de cada temporada, é feita uma análise de como foi o ano. A gente conversa com o treinador sobre posições que precisa de novos atletas. Essa época é para se fazer movimentações e já estamos nos movimentando. Não sei se essa é a posição mais carente e se é essa que o treinador vai quer privilegiar. O perfil que queremos é de jogadores competitivos, jogadores de saúde, de inteligencia, que querem mostrar seu valor. Não queremos jogador acomodado e que não dê 100% – disse o presidente, que citou o atacante Everaldo como exemplo.

– O Everaldo foi alvo de desconfiança e o torcedor entendeu o jogador que está desempenhando. Nem sempre o torcedor acredita no nome que está chegando, mas tem que saber que ele foi observado e teve aval de um grupo de pessoas que toma essa decisão. Nossa ideia é essa. O investimento o tempo inteiro não é possível. Buscamos investir pouco, jogador que não despertaram interesse do mercado geral, temos um departamento de análise técnica apurado para identificar isso. Queremos atletas de bom valor e que não tenha necessidade de investimento muito alto – concluiu.