Nino conquistou o ouro olímpico com a seleção (Foto: Reprodução/Twitter)

Há pouco mais de um mês, Nino conquistava com a seleção brasileira a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Mas a estadia do zagueiro do Fluminense no Japão não foi das mais tranquilas. O defensor contou até um “perrengue” que passou com terremoto no país e justamente após ter feito uma brincadeira com o goleiro Santos.

– Eu fiquei com o Santos, goleiro do Athletico-PR, no quarto, e brincava assim com ele: “Santos, queria muito que tivesse um terremoto leve, só para a gente ver como que é, a sensação, sem dar prejuízo nenhum para ninguém” (risos). E aí nós jogamos a semifinal contra o México e fomos para o hotel. Geralmente a gente não consegue dormir logo depois dos jogos por causa da cafeína, e o Fluminense iria jogar às 7h da manhã. Fiquei acordado para assistir, mas deu umas 5h pensei: “Vou dormir um pouquinho até 7h”. Quando eu deitei para dormir, começou um terremoto – disse, complementando:

– O prédio balançando, um barulho grande no andar de cima, da cama arrastando. E aí foi um desespero (risos). Comecei a mandar mensagem para todo mundo: “Está tendo terremoto”. Foi apavorante. Depois que acalmou, 30 minutos depois teve mais um, mais leve. No outro dia, quando a galera acordou, foi só resenha. Uns falando que morreram de medo, não conseguiram dormir mais. Eu tinha o jogo do Fluminense, então dei essa desculpa: “Eu até ia conseguir dormir, mas fui ver o Fluminense” (risos). Mas agora já sei como é (um terremoto), não quero sentir nunca mais.