Catimba equatoriana liga o alerta no Fluminense

Catimba equatoriana liga o alerta no Fluminense

Jean sabe que na Libertadores nem sempre a técnica prevalece

Detalhes dentro e fora de campo fazem da Copa Libertadores um torneio único. Nem sempre o time de melhor técnica consegue sucesso. A raça das equipes, a catimba dos sul-americanos e os estádios estilo alçapões são elementos presentes no principal campeonato do continente. O Fluminense, garante Jean, está calejado.

 
– Primeiro, temos que estar preparados para qualquer tipo de situação na Libertadores, principalmente, fora de casa. Ficarmos espertos e ligados a qualquer tipo de catimba e provocação dos adversários. Não podemos cair na provocação. Time que quer ser campeão, buscar algo grande, chegar no lugar mais alto do pódio, tem que passar pelos adversários dentro e fora de campo – afirmou.