Clubes têm intenção de organizar o Brasileirão (Foto: Divulgação)

Em encontro realizado na última terça, os clubes manifestaram à CBF a intenção de criar uma liga para organizar o Campeonato Brasileiro. Agora, a entidade afirma deixar a bola nas mãos das agremiações para irem adiante.

Diz reportagem do site ge, no entanto, que a CBF age nos bastidores para enfraquecer o movimento e manter o esquema de poder atual.

Por sua vez, os clubes tentam montar uma estrutura capaz de organizar campeonatos. Departamentos esportivo, jurídico, financeiro, de comunicação, de captação de investidores. A ideia é ter algo montado para apresentar à CBF em três ou quatro semanas. O planejamento envolve ter um CEO executivo sem ligação direta com qualquer agremiação, mas que responda a um Conselho formado pelos clubes e com todos tendo o mesmo poder de decisão entre si.

Uma grande questão a ser contornada se dá com as federações estaduais. Os envolvidos não querem um Brasileirão espremido entre maio e dezembro, como é atualmente, para acomodar os campeonatos locais do início do ano.

Confira como as federações se manifestaram à reportagem do portal ge:

SP
Reinado Carneiro Bastos, presidente da Federação Paulista de Futebol:

– A FPF entende o movimento dos clubes, torce para que dê certo e espera que a liga tenha uma gestão profissional.

SC
Rubens Angelotti, presidente da Federação Catarinense de Futebol:

– Este tema só será discutido após se resolver o problema do presidente (Rogério Caboclo).

PB
Michelle Ramalho, presidente da Federação Paraibana de Futebol:

– Eu fiquei sabendo da proposta dos clubes para a criação de uma liga para organizar o Campeonato Brasileiro. Mas fiquei sabendo de uma forma muito genérica. Então seria prematuro emitir uma opinião não sabendo as entrelinhas desse projeto. De toda a forma, eu estou à disposição dos clubes e das demais federações para conhecer melhor esse projeto e poder me posicionar com segurança.

BA
Ricardo Lima, presidente da Federação Bahiana de Futebol:

– Não participei da reunião e soube do assunto pela imprensa. Irei aguardar a CBF atualizar as federações, como não tenho informações suficientes não irei me manifestar. Mas garanto que toda e qualquer solução que exista para o engrandecimento do futebol será bem recebida.

AL
Felipe Feijó, presidente da Federação Alagoana de Futebol:

– Precisamos entender melhor o que está sendo proposto. Inicialmente, estamos acompanhando o que foi veiculado pela mídia. Ainda estamos aguardando um retorno da CBF sobre a reunião, com maiores informações, para formarmos esse entendimento. Adianto que qualquer solução que seja amplamente debatida e construída por várias mãos, que venha a fortalecer o futebol brasileiro, será sempre bem aceita.

CE
Mauro Carmélio, presidente da Federação Cearense de Futebol:

– Não vejo problema com o surgimento da Liga. Isso já foi tentado. Um novo modelo de gestão deve ser pensado. A nossa preocupação é como será o tratamento com os nossos clubes cearenses e que eles tenham direitos iguais e sejam respeitados no espaço delineado com os demais clubes.

AM
Dissica Tomaz Valério, Presidente do Federação Amazonense de Futebol:

– A Federação Amazonense de Futebol entende que o esporte passa por um momento de profissionalização e este tipo de discussão é válida, contudo, nenhuma posição será anunciada antecipadamente”.

PE
Evandro de Carvalho, da Federação Pernambucana de Futebol:

– Nem eu nem a CBF somos contra qualquer liga. Na verdade, não é nenhuma novidade. No caso específico de clubes da Série A, não tem qualquer prejuízo, muito pelo contrário. A CBF economizaria recursos.

SE
Milton Dantas, Presidente da Federação Sergipana de Futebol:

– Não tenho nada contra os clubes criarem uma liga para se organizarem melhor, buscarem receitas, discutirem melhorias e outras coisas mais. O melhor exemplo disso é a Liga Nordeste, que foi criada para discutir melhorias para o futebol na região e reivindicar o retorno da Copa do Nordeste, que voltou e é organizada pela CBF. Porém, para organizar a competição, eu sou radicalmente contra. Clube não pode organizar competição, não é papel dele, cabe à CBF e federações essa tarefa. Os clubes usaram de oportunismo nessa situação, foi um momento oportunista para propor isso. Já existia o Clube dos 13, e quando ele acabou, deixou uma dívida que acabou tendo que ser assumida pela CBF. Não posso concordar com isso. Clube é clube, federação é federação, cada um no seu papel. Os clubes são totalmente independentes para negociar patrocínios, para negociar receitas de televisão, enfim, a CBF não se mete nisso. Agora organizar competição não é papel do clube. Vimos um exemplo recente na Europa, os maiores clubes do mundo tentaram organizar uma competição independente e não foram para lugar nenhum, não teve futuro porque não faz sentido. Aqui a mesma coisa.

RJ
Não se manifestou

MG
Não se manifestou

RN
Não se manifestou

DF
Não se manifestou

RS
Não se manifestou.

PR
Não se manifestou.

MT
Não se manifestou.

As demais federações não responderam.