Ao que tudo indica, as reclamações do Fluminense em relação a arbitragem no duelo contra o Corinthians não farão efeito. Através de seu blog no portal Uol, o jornalista Paulo Vinícius Coelho informou que a Comissão de Arbitragem entendeu que o condutor do apito, na partida da última noite, foi bem.

Confira:

“A avaliação da atuação do árbitro Rodolpho Toski Marques, do Paraná, foi considerada boa na partida Corinthians 1 x 0 Fluminense, em Itaquera, na quarta-feira à noite. O Fluminense protestou veementemente por seis decisões difíceis terem sido tomadas todas a favor do Corinthians, mas para a comissão de árbitros o árbitro paranaense acertou em tudo.

A opinião deste colunista é diferente. Rodolpho Toski errou ao expulsar o meia Marquinho e ao não dar pênalti de Fágner em Richarlison no final do jogo. Além destas duas jogadas, o Fluminense contesta a maneira como o terceiro gol anulado por impedimento, depois de permitir a comemoração de Richarlison, que marcou em impedimento. O presidente Peter Siemsem discute também um suposto pênalti cometido por Giovanni Augusto.

A comissão de árbitros julga que a expulsão de Marquinho foi justa, porque o árbitro precisava se impor diante do xingamento que recebeu. De fato, a leitura labial dá a noção de que Marquinho disse: ”Vai se f…” Depois de aplicar o cartão vermelho, o árbitro Rodolpho Toski Marques é questionado por um jogador do Fluminense. Responde: ”Ele mandou eu me f… Tá fora! Ele!”

O Fluminense discute ter sido prejudicado em suas três visitas a Itaquera. No Campeonato Brasileiro de 2014, Paulo Henrique Godoi Bezerra anulou um gol legal de Henrique. No Brasileirão 2015, com atuação de Sandro Meira Ricci. De fato, em 2015, o impedimento inexistente de Cícero marcado pelo assistente Fábio Pereira causou a maior polêmica da temporada, o ápice da crise em que o Atlético se julgava prejudicado por erros de arbitragem que auxiliavam o Corinthians.”