2Em nota, o presidente da Unimed-Rio, Celso Barros, respondeu às críticas de seu adversários nas próximas eleições, Cláudio Salles. O opositor afirmou que os cooperados estariam sofrendo de “deterioração e que cirurgiões estavam sem receber. Confira a reação do atual mandatário da empresa de saúde:

“Em resposta às acusações mencionadas, a cooperativa esclarece que, durante a gestão Celso Barros, a Unimed-Rio cresceu em todas as linhas de seus resultados e gerou mais trabalho e renda para seus sócios. Celso Barros assumiu a Unimed-Rio com 236 mil clientes e com o médico recebendo R$ 23 por consulta. Hoje são mais de 1.150 milhão de clientes e consulta a R$ 80, o maior valor de consulta pago por plano de saúde particulares no Rio de Janeiro e um dos maiores do país. Além disso, a Unimed-Rio viu seu faturamento crescer 15 vezes no período: de R$ 114 milhões em 1998 para R$ 3,5 bilhões em 2013. Não há, portanto, “deterioração do cooperado” ou “cirurgião sem receber”.

Cláudio Salles promete avaliar o patrocínio com o Fluminense, uma das principais razões por ter pleiteado a presidência da cooperativa.


Sem comentários