Agora é à vera. Os clubes, a CBF e a Federação têm de instalar biometria nas catracas dos estádios do Rio de Janeiro em até 90 dias. Se não cumprirem a determinação da Justiça terão de arcar com multa diária de R$ 50 mil.

A decisão foi tomada em caráter de urgência, pois se pretende impedir o acesso aos estádios de qualquer torcedor já punido ou afastado de partidas já no Brasileiro e na Copa do Brasil, competições organizadas pela CBF.

A biometria é um sistema com custo baixo e benefício inestimável, já que, além de impedir o acesso a quem está punido, acaba com a sensação de impunidade – disse Rodrigo Terra, promotor do Ministério Público do Rio de Janeiro.

O mecanismo biométrico, após instalado nas catracas, terá seu software alimentado por dados de identificação coletados pelo Grupamento Especial de Policiamento de Estádios (GEPE), pela Polícia Militar e inseridos no Portal de Segurança Pública. O controle não afetará o torcedor comum e será feito em duas etapas:

Etapa 1 – Após proferida a decisão pelo Juizado do Torcedor, o juiz determina a inclusão do torcedor na base de dados, o que será encaminhado para o gestor do sistema através de expediente com protocolo para posterior verificação.

Etapa 2 – com a determinação da inclusão o gestor incluirá os dados biométricos que serão captados in loco, logo após a audiência no Juizado do Torcedor, para que esteja disponível para consulta em qualquer ocasião futura, quando do acesso do torcedor em catracas que contenham o controle de acesso”.