Clubes planejam Estadual de 2019 e pequenos querem aumento de participantes

Maioria defende a permanência da Seletiva

O Campeonato Estadual de 2018 nem teve início, mas os dirigentes já planejam a competição de 2019. Em arbitral realizado na última segunda-feira, cartolas dos times menores bolam ideias para o torneio de daqui a dois anos, defendem a Seletiva e pleiteiam aumento de participantes na fase principal.

Dentre os clubes que já apresentam os primeiros projetos para 2019, se destacam Madureira e Volta Redonda. Nenhum dos dois, no entanto, opta pelo fim da etapa preliminar. Pelo contrário: ambos defendem a realização junto do aumento do número de participantes na fase principal. Enquanto o Tricolor Suburbano quer 14 times, o vice-presidente do Voltaço fala em 16.

No arbitral surgiu a proposta do rebaixamento de seis clubes, visando acabar com a Seletiva, a primeira fase do Estadual em 2019. Assim o Cariocão contaria com 12 clubes, atendendo o desejo da Rede Globo, detentora dos direitos de transmissão. Apesar de nenhum dirigente admitir que tal assunto foi tratado, o discurso deixa claro que a proposta não vai encontrar qualquer tipo de eco entre os times de menor investimento.

– Estou propondo até 14 clubes, na verdade aumentar o número de times na Primeira Divisão (na fase principal) e dar mais chance de quem está lá embaixo, na Série B, e também dar mais chance na Seletiva, que sou contra de acabar. Acho que é um mecanismo de segurança para os times pequenos que estão em cima. É mais difícil você descer. É melhor você descer para a Seletiva, no purgatório, e no ano que vem ter a chance de voltar ao céu, do que você descer para a Série B, jogar e depois ser campeão e voltar para a Primeira. Acho que a Seletiva, para os clubes pequenos, é o ideal. Estou querendo, e é uma opinião minha que tem alguns adeptos, de aumentar o número de times do campeonato. Resta saber se a Globo aceita ou não 14 clubes. Acho que é o número ideal – declarou Elias Duba, mandatário do Madureira.

Mais incisivo, o vice-presidente do Volta Redonda, Flávio Horta Junior se posicionou contra a extinção da primeira fase:

– Sou radicalmente contra acabar com a Seletiva. Acho que os clubes precisam sentar e ver uma maneira de viabilizar cada vez mais o campeonato. No meu entendimento, o campeonato ideal é com 16 clubes e Seletiva. A gente precisa melhorar principalmente as condições da Segunda Divisão, qualificar mais os times e os jogos. Talvez até uma redução. Mas, entenda, isso é uma posição minha, não é nem do Volta Redonda. Mas, sobre o campeonato da Primeira Divisão, nós somos radicalmente contra acabar com a Seletiva e vamos trabalhar para ter uma fase principal com 16 clubes.

Recém-promovido, o Goytacaz também defende a Seletiva. Bangu e Boavista, cautelosos, preferem aguardar o acontecimento dos fatos.