Camisa 10 tem números impressionantes (Foto: Lucas Merçon - FFC)

Gustavo Scarpa viveu uma relação conflituosa com parte da torcida do Fluminense neste ano. Mas mesmo sem conseguiu manter uma regularidade, continuou sendo decisivo. Não só neste Brasileiro, como no anterior. Ninguém criou tantas chances de gol nas duas últimas temporadas quanto o meia tricolor.

Principal garçom do Brasileirão em 2016 – ao lado de Dudu, do Palmeiras -, com 10 passes para gol, e de 2017, com 12, Scarpa foi também o líder em assistências para finalização nos dois anos: 103, na temporada passada, e 76, na atual – superando Lucas Lima, reforço do Palmeiras, na última rodada.

Muitas das chances criadas vieram do jogo aéreo. Com 105 cruzamentos certos, em 2016, e 67, em 2017, o camisa 10 do Tricolor liderou também este fundamento nos últimos Brasileiros. Melhor para o centroavante Henrique Dourado, que terminou a competição deste ano como artilheiro, ao lado de Jô, do Corinthians, com 18 gols.

A qualidade na batida da bola, uma das principais características do apoiador, entretanto, não tem sido efetiva apenas para servir, mas também nas conclusões. Foram 26 gols marcados pelo Flu em 154 partidas disputadas. Um bom número para quem contribui principalmente com passes.

Nos últimos dois Brasileiros, Scarpa foi ainda quem mais arriscou chutes em gol. Segundo o Footstats, foram 111 arremates em 2016 e 108 em 2017.

Em resumo: ninguém procurou mais o gol nas últimas temporadas na elite do futebol brasileiro quanto Gustavo Scarpa. Não à toa, seis grandes clubes nacionais desejam o camisa 10 do Flu: Cruzeiro, São Paulo, Atlético-MG, Corinthians, Palmeiras e Vasco.