Com ataque inoperante e erros defensivos, Flu perde no Mineirão

Com ataque inoperante e erros defensivos, Flu perde no Mineirão

22086483320_fc0c3918fd_b

Por Paulo Brito

 

Manhã de sol forte e, como não poderia deixar de ser, jogo quente entre Cruzeiro e Fluminense, no Mineirão, em Belo Horizonte. Com ambas as equipes em busca de uma melhor pontuação no Campeonato Brasileiro, no intuito de se afastar ainda mais da zona de rebaixamento, o Tricolor teve um fôlego menor, com erros de marcação, sendo superado por 2 a 0.

Embora tenha jogo importante no meio de semana, pelas semifinais da Copa do Brasil, diante do Palmeiras, o técnico Eduardo Baptista resolveu escalar suas principais peças, exceto pela promoção de Ayrton, na lateral-esquerda. Ignorando o sol, os atletas pareciam ligados no 220 volts. Logo aos 4 minutos, o arqueiro tricolor foi obrigado a fazer boa defesa, depois de uma triangulação do Cruzeiro que desencadeou o chute de Allano. Até então bem postado no setor defensivo, o Fluminense pecava no último passe quando ensaiava contra-ataques. Gerson, Scarpa e Marcos Junior não funcionavam. Em consequência, Fred praticamente não tocava na bola.

Com 27 minutos jogados, a pressão do Cruzeiro fez efeito. Após cruzamento pela direita, William dominou, girou e mandou para o fundo das redes, sem chance para Cavalieri esboçar qualquer tipo de reação. O Fluminense precisava reagir, mas parecia sem forças. Pela direita, Higor leite quase nem esboçava avanço, mais preocupado com o chegado do time mineiro pelo seu setor. No outro lado, Ayrton fazia uma estreia sem brilho, porém sem cometer erros graves.

No primeiro lance da etapa final, Willian tirou Higor Leite da jogada, num corte seco, e chutou cruzado, ampliando o placar para 2 a 0. Novamente, Diego Cavalieri não teve chance de interceptar a bola. Eduardo Baptista promoveu, pouco tempo depois, a entrada de Osvaldo, visando dar mais fluidez ao ataque. Assim como a entrada de Vinícius, no intervalo do jogo, não funcionou.

Depois do segundo gol, a grande estrela do Fluminense passou a ser Diego Cavalieri. Com, ao menos, três boas intervenções, o camisa 12 foi fundamental para o placar não ser mais elástico. Para piorar todo o cenário, o melhor defensor do Fluminense, Marlon, torceu o joelho, virando dúvida para o confronto contra o Palmeiras. Victor Oliveira entrou no seu lugar e se contagiou com a confusão defensiva do Time de Guerreiros. Nem parecia que os treinos específicos dos setores tinha surtido efeito. No final do duelo, Leandro Damião perdeu chance incrível, ao tirar Cavalieri do lance, chutando pra fora. Ficou em 2 a 0 para os donos da casa. Que o Flu troque o chip e atue de maneira melhor, semana que vem, diante do Palmeiras!


Sem comentários