Pedro Antônio, por enquanto, é o principal financiador de obras (Foto: Bruno Haddad - FFC)
Pedro Antônio, por enquanto, é o principal financiador de obras (Foto: Bruno Haddad – FFC)

Na base das doações e pechinchas, Pedro Antônio segue tocando e economizando nas obras de contrução do centro de treinamentos do Fluminense, na Barra da Tijuca. Assim, o plano do vice de projetos especiais e do próprio clube é inaugurar o local ainda neste ano com custo menor do que o previsto.

Por enquanto, Pedro é o maior financiador da obra. Já emprestou R$ 5 milhões. O Conselho Fiscal do Fluminense autoriza a captação de até R$ 7 milhões com o dirigente e irá efetuando o pagamento conforme forem entrando as parcelas da Roma, da Itália, pela compra de Gerson.

Além disso, ainda houve outras iniciativas para arrecadar fundos, como um almoço com torcedores. Além das economias e valores levantados, Pedro revela também conseguir doações com outros empresários.

– Tem um doador com quem vou me reunir. Ele prometeu R$ 1 milhão. Tem outro que também prometeu recursos específicos altos. Amanhã posso chegar e falar: “Preciso pagar a mão de obra (da preparação) dos campos. Alguém pode pagar? conta, explicando também como tem economizado dinheiro:

– A gente economizou R$ 75 mil por noite. Levamos por R$ 3,5 milhões o que sai por até R$ 23 milhões. O metro cúbico costuma ser vendido a R$ 85. Nós conseguimos por R$ 11, porque ela veio de uma escavação aqui na Barra mesmo.

Curiosidade: em contato com a reportagem do Jornal Extra, Pedro Antônio interrompeu entrevista para atender a ligação de um amigo empresário em seu celular e o jornalista flagrou o diálogo: “Estou precisando de dinheiro. De R$ 300 mil. Consegue ainda hoje?”.

 


Sem comentários