Botafogo chegou muito perto do atacante uruguaio Rodrigo Aguirre nos últimos dias, mas o negócio parece desandar. Durante a semana, a Udinese aceitou a oferta de US$ 250 mil (cerca de R$ 800 mil) para um empréstimo, mas faltava ainda acertar com os italianos as condições de pagamento para um parcelamento; a comissão do empresário e o tempo de contrato. A diretoria queria o jogador por um ano e meio, não só uma temporada.

Para isso, o uruguaio teria que renovar seu vínculo com a Udinese, que termina em junho de 2019. Acertando tudo, só então o departamento médico do Botafogo iria examinar o atacante antes de confirmar a contratação. Mas a expectativa era favorável, mesmo com a recente operação no joelho direito. O clube fez contato com os médicos italianos e levantou o histórico físico do jogador, de 23 anos.

Porém, nada evoluiu desde então. E o empresário de Aguirre, o peruano Pablo Betancourt, segue aguardando uma resposta definitiva do Botafogo para sacramentar o negócio. No entanto, em contato com a reportagem do Globo Esporte, mostrou-se chateado com o “silêncio” dos dirigentes e já cogitou levar o atacante para outro clube brasileiro.

– Estou esperando uma resposta econômica da equipe. O que eles pediram eu consegui, mas estão em silêncio. Se não me respondem, vou começar a conversar com outros clubes do Brasil.