A temporada 2018/19 da Superliga de vôlei feminino começa no próximo dia 13. Na última quinta-feira, técnicos e atletas das equipes participantes se reuniram em São Paulo para o lançamento da competição, que completa 25 anos. O Tricolor entra em quadra para o primeiro confronto no dia 16, às 20, quando enfrenta o Pinheiros, em São Paulo.

Além do Fluminense,o evento reuniu representantes do Dentil/Praia Clube (MG), Sesc-RJ, Minas Tênis Clube (MG), Osasco-Audax (SP), Hinode Barueri (SP), Pinheiros (SP), Sesi Vôlei Bauru (SP), São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP), BRB/Brasília Vôlei (DF),
Curitiba Vôlei (PR) e Balneário Camboriú (SC).

– A expectativa é uma temporada dura. Assim como o Fluminense, todos os times se reforçaram muito bem, mas esperamos que seja de muito trabalho e crescimento, como no ano passado. Contamos com apoio da nossa torcida nos jogos – disse o técnico Hylmer Dias.

Este ano, a equipe do Fluminense é composta por: Joycinha (oposta), Carla Santos e Pri Daroit (ponteiras), Ju Carrijo e Vivian Lima (levantadoras), Stephany Carvalho e Gabi Dutra (líberos). Do time anterior, permaneceram Lara Nobre, Letícia Hage, Larissa Gongra e Marcella Amaral (centrais), Giovana (levantadora), Arianne Tolentino e Pamela Sanabio (opostas), Sassá (líbero), Thaisinha, Carol Won-Held, Giovanna Fant e Julia Moura (ponteiras).

Após o lançamento da Superliga feminina, houve um encontro entre técnicos, capitãs, jogadoras e representantes da arbitragem que estarão atuando ao longo da competição, para tirar dúvidas em relação a regras e conduta. A CBV colocará o sistema de desafio à disposição em todos os jogos das semifinais e finais. As partidas serão televisionadas pelos canais SporTV e TV Gazeta, além do online, no site Globoesporte.com, Canal Vôlei Brasil, da TV NSports.