Com boa atuação de R100, Flu sufoca Shakhtar, mas fica no empate

Com boa atuação de R100, Flu sufoca Shakhtar, mas fica no empate

24443643555_bd48a297fb_bPaulo Brito

E, finalmente, chegou o grande momento deste início de temporada: o Fluminense entrou em campo. Diante do Shakhtar Donetsk, em Orlando, pelo Flórida Cup, Eduardo Baptista promoveu diversas substituições pelo Time de Guerreiros, incluindo a entrada de Ronaldinho Gaúcho. Num jogo bastante disputado e com algumas variações táticas, o Tricolor perdeu muitas oportunidades de estufar as redes na etapa final e ficou só no empate, em 1 a 1.

Sem contar com Fred, que foi poupado devido a dores musculares, o treinador do Flu promoveu a entrada do jovem Richarlison, contando com o seu porte físico e técnica para tentar envolver a forte zaga dos ucranianos. A base do ano passado fora toda mantida, tendo como grande surpresa a entrada de Osvaldo no lugar de Gustavo Scarpa, por opção do comandante. Em campo, as posturas defensivas de ambas as equipes se sobressaiam, na primeira metade da etapa inicial, sobre os ataques. O jogo era de bastante estudo.

Sobrecarregados, por conta do auxílio na defesa, devido aos constantes avanços dos alas, Marcos Jr e, em especial, Osvaldo, pouco apareciam para o time. Sendo assim, Diego Souza e Cícero tentavam chamar mais a responsabilidade na meiuca, com Richarlison se movimentando bastante no setor de ataque. Ele, aliás, protagonizou o grande lance do jogo na primeira etapa. Em jogada individual, o jovem deixou o zagueiro ucraniano na saudade, invadiu a área e chutou cruzado, obrigando Pyatov a praticar grande defesa, aos 36 minutos. Pouco depois, Wellington Silva quase entregou o ouro, ao perder a bola e cometer pênalti claro, na tentativa de recuperá-la de Alex Teixeira. Por sorte, a arbitragem ignorou.

Na etapa final, com muitas mudanças de ambos os lados, o duelo ficou muito mais franco. Logo no início, numa bobeira incrível do sistema defensivo do Flu, Marlos cruzou e Facundo Ferreyra, sem muita dificuldade, empurrou para as redes. O lance foi o gatilho para uma melhora incrível do jogo. O jovem Danielzinho, campeão brasileiro sub-20 na temporada passada, ditava o ritmo do clube nas puxadas de contra-ataques. Já no ataque, Ronaldinho, muito inspirado, dava boas oportunidades. Felipe Amorim e Magno Alves também melhoraram a condução do time na parte ofensiva. Os dois últimos, aliás, foram peças fundamentais no gol de empate. Depois de aproveitar uma bobeira do Shaktar, Felipe Amorim achou Magnata livre, que empurrou para as redes, dando números finais ao jogo.

Vale destacar que a equipe tricolor perdeu diversos gols nos minutos finais, incluindo R10, quando teve baita chance, encobriu o goleiro, mas a bola foi, pecaminosamente, para fora. O duelo mostrou um Flu ativo e cheio de opções. Prenúncio de uma grande temporada para Time de Guerreiros!


Sem comentários