Com ressalva, Bom Senso FC se posiciona favorável à Primeira Liga

Com ressalva, Bom Senso FC se posiciona favorável à Primeira Liga

Bom Senso divulgou nota em apoio à Primeira Liga, mas com pedido de mais medidas visando ao crescimento do futebol nacional
Bom Senso divulgou nota em apoio à Primeira Liga, mas com pedido de mais medidas visando ao crescimento do futebol nacional

 

Na luta para colocar em prática a Primeira Liga já em 2016, os dirigentes da Liga Sul-Minas-Rio ganharam um apoio considerável: o do Bom Senso FC. O movimento formado por jogadores, em nota, afirma ser favorável à iniciativa dos clubes, mas faz algumas ressalvas.

 

O Bom Senso FC entende que o momento é propício para os clubes se organizarem e promoverem uma revolução no futebol brasileiro, só que pede para isso não ser apenas por rebeliões contra federações locais e com o único intuito de melhorarem suas arrecadações. O movimento quer atenção também para os clubes de menor investimento.

Veja a íntegra da nota oficial do Bom Senso FC:

“Apoio à Primeira Liga, mas que não pare por aí

O futebol brasileiro esperava há tempos que os seus principais clubes saíssem da inércia, se reunissem e organizassem um campeonato livre da desordem da CBF e de suas federações.

O momento de crise no comando da CBF é propício, e nesse sentido a articulação dos clubes é mais do que bem-vinda, fundamental para que o futebol brasileiro evolua.

Porém não se pode ignorar que a criação de mais um campeonato no já turbulento calendário brasileiro gera problemas, sobretudo aos clubes menores, dependentes, quase que exclusivamente, dos falidos campeonatos estaduais.

Já dissemos incontáveis vezes que os estaduais no formato atual não resolvem os problemas de ninguém, são apenas uma sobrevida dolorosa aos clubes do interior, que nesse modelo atual vão fechando aos poucos as suas portas. A esses clubes, é necessário criar competições que ofereçam estabilidade e previsibilidade de datas ao longo da maior parte do ano.

A conclusão:

Criar a Liga Sul-Minas-Rio apenas para romper com a federações estaduais, arrecadar mais por meio da venda dos direitos de transmissão de jogos para a TV e competir com os desinteressantes campeonatos estaduais é sacramentar de uma vez o fim dos clubes do interior nesses estados.

A empreitada da criação da Liga só vale se for o embrião de algo maior, de uma Liga Nacional que seja capaz de reorientar o futuro do esporte mais popular do país. Uma Liga que possa a médio prazo desenvolver um campeonato de ponta para os clubes de elite e, ao mesmo tempo, estabelecer novos parâmetros às competições dos clubes do interior.”


Sem comentários