(Foto: Lucas Merçon/FFC)

Em crise financeira, o Fluminense deve dois meses de salários aos funcionários e atletas, além de três meses de direitos de imagem. Em solidariedade aos trabalhadores que recebem menos e enfrentam dificuldades, os jogadores pagaram contas e emprestaram dinheiro para amenizar os problemas econômicos.

Segundo detalhou o site do Globo Esporte, os atletas pagaram contas de energia elétrica e gás, e emprestaram dinheiro para compra de alimentos e transporte. Faxineiros e seguranças, que recebem menos, foram beneficiados.

Vale ressaltar que a situação não é tratada de forma pública pelos jogadores, que não têm o interesse de fazer publicidade com o caso. A preocupação é com o bem estar dos funcionários. Com a intensificação da crise, a ajuda passou a única forma de amenizar o problema.



O atraso dos funcionários é de dois meses de CLT, mas quem recebe menos de R$ 4 mil tem um mês sem receber. Os jogadores estão com dois meses (CLT) e três meses de direitos de imagem. O saldo total da dívida é de aproximadamente R$ 10 milhões. A direção do Fluminense já reiterou o compromisso de regularizar os débitos, mas não deu prazos.