Foto: Lucas Merçon/FFC

Fluminense e Calazans vivem seu último ano de relação. Com constantes atrasos salariais, débitos de premiações e direito de imagem, o meia-atacante passa por situação complicada e vem sendo ajudado pelo empresário, Marcelo Bastos. Na mira do São Paulo, o agente ressaltou que é quase impossível uma extensão do vínculo do jogador, que termina no final desta temporada.

– Com certeza a situação financeira do clube pesa para uma renovação. O jogador tem família, dois filhos, chegou a ficar devendo aluguel atrasado, a gente fica o tempo todo ajudando a família. É complicado. A torcida acaba não vendo esse lado, mas é muito difícil, tem muita coisa pra trás que tem que acertar também – revelou ao NETFLU e complementou dizendo que a cúpula do Tricolor não idealiza pagar o que pedem para a manutenção do jovem revelado em Xerém.

– O Fluminense não chegou num acordo conosco e é muito provável que a gente não renove em função disto. Mas eu não posso te falar mais, porque o que a gente quer está muito longe do que o Fluminense está disposto a pagar.

Vale ressaltar que a contratação de Calazans por parte do São Paulo foi um pedido do novo técnico da equipe paulista, Cuca. A negociação, porém, está diretamente ligada à liberação de Nenê, segundo o empresário do meia-atacante do Fluminense.

– A relação com o São Paulo depende do acerto entre o Fluminense e o clube paulista. A gente combinou que só iremos avançar com o São Paulo se o Fluminense e eles se acertarem. Havendo acerto, a gente senta com eles para ver o que vai fazer. Ainda não temos nada acordado com o São Paulo – concluiu.