Com altas doses de emoção, o Fluminense voltou a vencer no Campeonato Brasileiro e vai dormir no G4. Em noite de Marcos Paulo, o Tricolor das Laranjeiras venceu, de virada, o Athletico, por 3 a 1. O atacante cria de Xerém fez dois e deu passe para Nenê, que chegou a perder um pênalti, marcar o outro no triunfo do Fluzão. Léo Cittadini descontou.

A vitória levou o Flu a 39 pontos e ao quarto lugar do Brasileirão. Porém, para fechar a 24ª rodada nesta posição, tem de secar o Grêmio e o Inter no domingo. O Tricolor gaúcho recebe o Vasco e o Colorado visita o Atlético-MG.

Em casa, o Fluminense começou bem a partida, tomando a iniciativa. Poderia até ter aberto o placar cedinho em chute cruzado de Marcos Paulo bem defendido pelo goleiro Santos. O Tricolor, porém, começou a cometer erros defensivos e isso teve um custo. Primeiro, numa saída errada com Calegari, o Athletico quase abriu o marcador com Richard em contra-ataque. Depois, em triangulação pelo lado esquerdo do ataque, Léo Cittadini bateu sem chances para Marcos Felipe.

Sorte do Flu que logo depois saiu um pênalti a seu favor. Nenê chutou e Thiago Heleno desviou com a mão. Sorte? Só que não. Jogador com ótimo aproveitamento nas penalidades, o camisa 77 dessa vez não converteu e parou em defesa de Santos.

Ainda assim, o Fluminense seguiu pressionando. Nenê se redimiria após boa jogada de Michel Araujo terminar com bola rebatida pelo goleiro paranaense e passe açucarado de Marcos Paulo na sobra. Aí foi só empurrar na rede. Dava até pra ter virado o primeiro tempo vencendo. O “Vovô” e o uruguaio também tiveram outras oportunidades.

Para melhorar a situação, Thiago Heleno, que havia recebido amarelo no lance do pênalti, levou outro ao parar Araujo com falta violenta no meio de campo.

Com um a mais, o Flu voltou com tudo para o segundo tempo e armou uma blitz para cima do Athletico. O Tricolor encurralou o adversário em seu campo de defesa e buscou de todas as formas a virada. Aos paranaenses só restou se fechar e tentar segurar o empate.

O Fluminense pressionou demais. Foram chutes de fora da área, chuveirinho, um montão de escanteios e parecia que o gol não sairia. Odair mudou tirando Michel Araujo e Wellington Silva para as entradas de Ganso e Felippe Cardoso, respectivamente. Mas o cara da partida já estava em campo. Marcos Paulo. Depois de distribuir bons passes na etapa inicial e dar a assistência para Nenê, coube ao atacante formado em Xerém resolver o duelo. Primeiro, aproveitou bola no segundo poste em cobrança de escanteio para matar e acertar uma bomba cruzada. Depois, invadiu a área rubro-negra e deu lindo tapa no cantinho. Uma pintura.

No domingo que vem, o Flu volta a campo contra o Vasco, em São Januário.

O Fluminense jogou com: Marcos Felipe, Calegari, Luccas Claro, Matheus Ferraz e Egídio; Hudson (André, 43′ do 2ºT), Martinelli e Nenê (Luiz Henrique, 37′ do 2ºT); Michel Araujo (Ganso, 14′ do 2ºT), Wellington Silva (Felippe Cardoso, 14′ do 2ºT) e Marcos Paulo (Miguel 43′ do 2ºT).