(Imagem: Ricardo Duarte/SC Internacional)

Primeiro contratado do segundo semestre, o volante Nonato chega ao Fluminense por empréstimo até o final de 2022. O Tricolor das Laranjeiras terá que desembolsar R$ 500 mil em 10 meses e vai arcar com 100% do salário do atleta.

Entrevistado pelo portal “Lance!”, o setorista Thaigor Janke da Rádio Band Sports do Rio Grande do Sul falou sobre as últimas duas temporadas do volante e do trabalho do jogador com os últimos técnicos que passaram pelo Internacional: Eduardo Coudet, Abel Braga e Miguel Ángel Ramírez.

– Em 2020 chega o Coudet e ele perde espaço. Ele pensava no Nonato como um meia articulador ideal. Jogando com um 4-4-2, o treinador tinha no meio-campo um primeiro volante fixo, o Musto ou Lindoso, pela esquerda o Patrick e pela direita um meia de mais saída, que ele queria que fosse o Edenilson, mas acabou sendo o Marcos Guilherme porque o Edenilson ficou mais centralizado, onde ele via o Nonato, que não rendeu e fez o pior ano dele. Quando vem o Abel, também não dá muita oportunidade. Todos os treinadores que chegam ao Inter dizem “o Nonato vai ser o meu cara, vou fazer jogar”, mas começa o trabalho e o jogador não engrena. Soubemos que o Abel disse isso para ele, mas não foi, o Praxedes até ganhou a vaga – afirmou.