(Foto: Mailson Santana - FFC)

Na última semana, no 4ª Conferência Anual de Condicionamento Físico e Força de Porto, em Portugal, o Fluminense foi destaque por conta do trabalho de seu departamento de fisiologia no CT Carlos Castilho.

Em parceria com pesquisadores internacionais, o Tricolor testou uma hipótese e teve seu resultado exibido em um pôster no congresso. O estudo ainda será publicado em breve na forma de artigo científico, mas teve como a neuromusculatura do jogador profissional.

A partir de testes sobre uma hipótese, chegou-se à conclusão de que a desaceleração em alta intensidade gera mais dano muscular, o que impacta diretamente no trabalho desenvolvido no clube.