O Conselho Fiscal do Fluminense, responsável por inspecionar as movimentações financeiras do clube, deu parecer recomendando a aprovação das contas do Tricolor em 2016, último ano da gestão do ex-presidente Peter Siemsen. Tal posicionamento costuma guiar a votação do Conselho Deliberativo. A reunião está marcada para o dia 25 de maio.

Há, porém, uma observação do Conselho Fiscal: o ex-presidente gastou toda a receita obtida com as luvas do novo contrato de televisionamento do Campeonato Brasileiro.

Internamente, o gasto da receita proveniente das luvas de TV é motivo de forte crícica a Peter Siemsen. Entende-se que a verba deveria ser usada para aumentar o patrimônio do clube, ou, ao menos, diminuir a dívida. Ela acabou servindo unicamente para pagar despesas. Mesmo assim, as contas tendem a serem aprovadas.

Antes do balanço do ano passado ser publicado, existia um receio que registrasse um prejuízo milionário. Conselheiros da situação poderiam até votar pela reprovação. Como na verdade houve lucro de R$ 8,3 milhões, Peter Siemsen deve ser preservado.