A construção de um muro é uma das alternativas do Fluminense para reforçar a segurança no CT. Concomitantemente, o clube faz estudos para a criação de uma rua de acesso, mas esta custará aos cofres tricolores R$ 10 milhões, noticiou Gian Amato, colunista do “Panorama Tricolor”, do jornal O Globo.

A ideia foi do vice de projetos especiais, Pedro Antônio Ribeiro. O nome da via seria Avenida Oscar Cox, um dos fundadores do Fluminense e primeiro presidente, conforme o NETFLU antecipou em junho de 2016. Ela já teve o aval concedido pela secretaria municipal de urbanismo e conta com o auxílio do vereador Carlo Caiado, torcedor tricolor.

– É viável e o PAL já foi concedido para ligar a Oscar Cox à Avenida Ayrton Senna. É caro, devido aos projetos de urbanização. Mas poderia negociar a diminuição da largura para 7 metros. É negociável e vários empreendimentos já fizeram isso – disse Caiado.

Pedro Antônio diz ser preciso, entre outros itens, de aproximadamente 1km de aterro. Vizinho do CT, o Senac também tem interesse na abertura da Avenida Oscar Cox. Mas, inicialmente, os recursos teriam que vir do Fluminense.

– Traria mais comodidade e segurança – disse Pedro, que afirmou desconhecer a necessidade do uso de códigos, como pisca-alerta, para o acesso ao CT ser feito sem problemas.