Uma das péssimas notícias extracampo do ano de 2018 do Fluminense foi que, por falta de pagamento do plano de saúde, a Amil tinha cortado a cobertura dos jogadores e seus familiares. Passando o problema há que se recordar de casos graves de saúde que atletas passaram. E, felizmente, alguns conseguiram superar e, inclusive, voltar às atividades lidando com a doença.

O caso mais emblemático no esporte é o de Lance Armstrong, que teve um câncer que o deixou à beira da morte e voltou ao ciclismo com extremo sucesso. Doping à parte, aquilo foi um caso extremo de superação.

Enfim, vamos citar alguns casos para mostrar que uma doença ou condição pode não ser suficiente para derrubar um atleta. E isso também pode nos inspirar a mexer o traseiro e ter uma vida mais saudável.


Washington, O Coração Valente tricolor

O caso de Washington, com certeza, é o mais marcante no Brasil e ainda tem relação com nosso Fluzão. Depois de aparecer no CaxiasR-S e na Ponte Preta e jogar no exterior, o atacante descobriu um sério problema no coração (lesão na artéria) que o impediria de jogar futebol.

Ele passou por uma angioplastia e treinou separado no Atlético-PR antes se ser liberado e dominar no futebol brasileiro, fazendo 33 gols no Campeonato Brasileiro de 2004 com a camisa do Furacão.

Em 2008 ele chegou ao Fluminense e fez um dos gols mais importantes de nossa história recente, marcando de cabeça contra o São Paulo classificando o Flu para as semifinais da Libertadores, quando batemos o Boca. Ele aposentou pelo Tricolor no começo de 2011.

Asma não impede de fazer esporte

Entre um dos grandes complicadores para a prática de atividades físicas estão as doenças respiratórias. Sem conseguir respirar de forma constante e treinada, é difícil praticar qualquer esporte, já que a entrada de oxigênio é ainda mais vital ao fazer esforço. Por isso que quando David Beckham abriu o jogo em 2009 que batalhava contra a asma, a surpresa foi grande.

Para quem tem essa doença, é ainda mais importante fazer exercício para ajudar na broncodilatação junto com o tratamento médico adequado. Além de Beckham, outros grandes atletas declaram sofrer com a asma como o ex-meio-campista inglês Paul Scholes, o zagueiro brasileiro Luisão, o ex-nadador Fernando Scherer (Xuxa) e o jogador de basquete James Harden.

Diabetes

Lembrando que o nosso Washington também tem diabetes. Ou seja, pode fazer uma estátua desse homem. Romário é outro atacante que sofre com essa doença, que curiosamente, já tem no futebol um “inimigo”. O Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP) desenvolveu um programa que inclui a prática do esporte – com algumas regras para reduzir contato – para incentivar a atividade física e lutar contra a obesidade, uma das grandes causas da Diabetes do tipo 2.

Para citar um caso mais atual, o defensor Nacho, do Real Madrid, também luta contra essa doença. Na NFL, a liga de futebol americano, o quarterback Jay Cutler também tinha essa doença e inclusive administrou doses de insulina ao lado do campo. Novamente, nenhuma doença deve impedir sua qualidade de vida e o esporte é um excelente aliado para melhorar seu dia a dia e lutar contra seus efeitos perversos.