Corredor de coletes é “castigo do bem”, diz Renato Gaúcho

Corredor de coletes é “castigo do bem”, diz Renato Gaúcho

Corredor polonês feito em 2010 no Fluminense
Corredor polonês feito em 2010 no Fluminense

Competitivo ao extremo, Renato Gaúcho não gosta de perder nem em rachão. Por isso, acha saudável a brincadeira com o time que é derrotado no recreativo e no trabalho de dois toques. Todos os jogadores têm de passar correndo e apanham de colete.

– O grupo é bom, experiente, quer, e isso é muito bom para o treinador trabalhar. Já vivi isso diariamente. Até quando brinco no dois toques, digo que não gosto de perder. Nem no par ou ímpar. O corredor de coletes é uma brincadeira, mas ninguém gosta de apanhar. Dou esse tipo de castigo para eles aprenderem a competir. E tem dado certo- explicou o treinador do Fluminense.


Sem comentários