Arouca atuou pelo Fluminense entre 2004 e 2008

Jogador criado nas divisões de base do Fluminense e atualmente no Figueirense, Arouca opinou sobre a situação que o futebol se encontra com a pandemia do novo coronavírus. Para o volante, o ideal é que siga se respeitando o protocolo de afastamento, conforme orientado pelas autoridades de saúde.

– Essa mudança brusca tirou o ritmo dos jogadores, mas tenho treinado em casa, assim como os demais jogadores e agora é ficar na torcida para que isso passe o mais rapidamente, se Deus quiser. Nós temos de seguir os conselhos de quem estuda. Os médicos, pesquisadores, indicam as informações e temos de seguir os protocolos para que isso acabe logo e possamos voltar na medida do possível. É muito triste para quem não pode parar, arriscando sua saúde. Muitas pessoas irão perder empregos e até a vida. Por isso, temos de fazer o que é certo, pois ou é isso, seguir as orientações, ou a saúde das pessoas irá sofrer. Oremos para que isso passe logo – disse.

Arouca também falou sobre o entendimento que tal situação poderia servir como ponto de partida para uma unificação do futebol mundial.

– Na minha opinião, vai atrapalhar todo mundo. Algumas coisas terão de ser repensadas no futebol. Seria bom termos um calendário unificado em todo mundo. Teria de ser não só o nosso com o europeu, mas o deles com o nosso também. Essa é uma boa hora de ajustar o calendário para todos – opinou.

Arouca atuou pelo Fluminense entre 2004 e 2008. Fez 212 jogos e nove gols. Foi campeão carioca em 2005 e da Copa do Brasil em 2007.