(Foto: Mailson Santana - FFC)

Campeão brasileiro sub-17 e convocado para a seleção brasileira sub-18, Alexsander assinou recentemente seu primeiro contrato profissional com o Fluminense. Porém, a trajetória do volante hoje titular na equipe conhecida como “Geração dos Sonhos” de Xerém foi para lá de difícil. Ele chegou a ser dispensado pelo clube e deu a volta por cima.

Alexsander começou a jogar pelada em sua comunidade com seis anos. Depois, passou por projeto da Prefeitura do Rio e foi orientado a fazer testes. Foi levado à peneira do Mackenzie, onde jogou futsal por dois anos. Aos 11, foi aprovado em teste no Fluminense e migrou para o campo.

No sub-14, foi dispensado. Tentou o Vasco e ganhou outro “não”. Sua mãe, então, pediu nova chance ao Fluminense, onde ele tinha o desejo de voltar. Retornou ao futsal. Teve nova oportunidade em 2018, mas no fim de 2019 chegou a figurar na lista de dispensas. Já em 2020, assumiu a vaga de Pedro Rocha, lesionado, para a final do Brasileiro sub-17 e não saiu mais. Agora, fará até período de treinos com a seleção sub-18.


— Foi uma sensação única e indescritível. Me senti muito honrado em poder vestir a camisa da seleção brasileira, que é o sonho de todo atleta – disse.