Foto: Bruno Haddad/Fluminense F.C
Foto: Bruno Haddad/Fluminense F.C

Campeão brasileiro em 2010 e 2012, o Fluminense fez milhares de tricolores felizes. Mas desde o tri, o time também acumulou resultados decepcionantes em Maracanã cheio. O site Globoesporte.com listou nove jogos fundamentais que os jogadores contaram com o apoio massivo dos torcedores, mas não conseguiram corresponder.

 

2010 – PARTE I


Era a 8ª rodada do Brasileirão. Ceará e Corinthians, os adversários diretos do Fluminense na briga pela liderança, empataram no dia anterior. O Tricolor só precisava vencer o Grêmio Prudente, que estava em 18º lugar. Com esse cenário, mais de 25 mil pessoas compareceram ao Maracanã e fizeram uma bonita festa com velas de aniversário. O gol de Fred no primeiro tempo aumentou a festa, mas aos 38 da etapa final Wesley empatou o jogo e manteve o Tricolor em terceiro na tabela.

 

2010 – PARTE II

No começo da 35ª rodada, o Fluminense era o líder do Brasileirão, um ponto na frente de Corinthians e Cruzeiro, e pegaria o Goiás, no Engenhão. Mineiros e paulistas se enfrentaram na véspera, e, com um gol de Ronaldo, o Timão venceu, dormindo em primeiro. O Tricolor tinha que vencer o Esmeraldino, que ocupava a 19ª colocação, para retomar a liderança, faltando três rodadas para o fim. Mais de 36 mil pessoas viram Rafael Moura abrir o placar aos 19 do primeiro tempo. De pênalti, o Flu empatou com Conca só aos 38 da etapa final e ficou na 2ª colocação.

 

2011

Depois de um primeiro turno de altos e baixos, o Flu entrou na reta final do Brasileirão de 2011 sonhando com um título que parecia improvável. Na 28ª rodada, o time estava em 6º, a sete pontos do líder. Venceu adversários fortes como Palmeiras e Internacional fora de casa. Na 34ª rodada chegou a chance de assumir a liderança. O adversário era o América-MG, lanterna do campeonato. O público de mais de 40 mil pessoas se decepcionou com o gol de Kempes no primeiro tempo e Alessandro no segundo. Rafael Moura ainda descontou, mas nada adiantou. O Flu terminou o Brasileiro em 3º e “se contentou” com a vaga na Libertadores.

 

2012

Até a 25ª rodada do Brasileirão de 2012, o Flu tinha perdido apenas uma vez, na 12ª. Nos 12 jogos seguintes, foram oito vitórias e quatro empates. Líder, o Tricolor enfrentaria o lanterna do campeonato, o Atlético-GO, que tinha vencido apenas três jogos e sofrido 43 gols em 24 jogos. Cenário perfeito para embalar na liderança. Mas o jogo em Volta Redonda terminou em drama, com a vitória do Dragão por 2 a 1, gols de Diego Giaretta e Reniê para os goianos e Michael descontando. A liderança só não foi perdida porque o Atlético-MG perdeu para o Náutico.

 

2013

Penúltima rodada do Brasileirão de 2013. Depois de passar quase todo o campeonato brigando para fugir da zona de rebaixamento, o Fluminense vê uma luz de esperança depois que Dorival Júnior assume o time na 34ª rodada. Em casa, a vitória sobre o rebaixado Náutico e a virada emocionante contra o São Paulo animam a torcida. Mesmo a derrota para o Santos fora de casa não desanima os tricolores. São 45 mil para empurrar o time contra o Atlético-MG na penúltima rodada. Uma vitória praticamente livraria o Flu. E ela acontecia, até os 37 do segundo tempo, quando Alecsandro empatou. Mesmo com a vitória sobre o Bahia, o alívio só viria posteriormente. O Flu acabou permanecendo na Série A por conta de um erro na escalação de André Santos, do Flamengo, e de Héverton, da Portuguesa

 

2014 – PARTE I

O Fluminense começou o Brasileirão de 2014 empolgando. O time de Cristóvão Borges jogava bonito, com toques rápidos no ataque e uma defesa segura. Depois de vencer o Figueirense por 3 a 0 na estreia e o Palmeiras, fora de casa, na 2ª rodada, o Tricolor era o líder. O compromisso seguinte era contra o Vitória, que ainda não tinha vencido no campeonato, no Maracanã. Mais de 50 mil pessoas presentes e… nova decepção. Marquinhos fez os dois gols baianos. Wagner ainda descontou, mas não foi suficiente para alegrar a torcida.

 

2014 – PARTE II

Ainda em 2014, o Flu não se afastou da briga pela liderança. O time começou a 14ª rodada a quatro pontos do líder Cruzeiro e, antes de entrar em campo contra o Coritiba, viu o time mineiro empatar com o Criciúma. Era a chance de reduzir a distância para dois pontos. O Coxa abria a zona de rebaixamento. Mais de 28 mil presentes viram o Flu sair na frente com Elivélton, perder Gum com uma fratura e Germano empatar aos 36 do segundo tempo.  Após esse jogo, o Tricolor deixou de vez a briga pelo título.

 

2014 – PARTE III

Depois de sair da briga pelo título, o Fluminense flutuou no meio da tabela durante boa parte do campeonato de 2014. Mas na 29ª rodada, o Flu entrou de vez na disputa pelo G-4. Em seis jogos, foram cinco vitórias: Criciúma, Santos (fora de casa), Atlético-PR e Goiás (fora de casa) e o clássico contra o Botafogo. Na 35ª rodada, a Chapecoense, 17ª colocada, pela frente no Maracanã. Na véspera, o Inter perdeu pontos, e um vitória deixaria o time a um ponto da zona da Libertadores. Mas quase 30 mil presentes viram o time catarinense golear por 4 a 1 e praticamente acabar com as chances do Flu.

 

2015

A festa estava armada. Apresentação de Ronaldinho, sequência muito boa (cinco vitórias e um empate nos últimos seis jogos), provocações ao Vasco e casa cheia mais uma vez. Foram 41 mil pessoas presentes, um lindo mosaico e muito pó de arroz. Para melhorar, na véspera o Atlético-MG havia perdido e uma vitória sobre o rival levaria o Flu à liderança do Brasileirão. Cenário perfeito mais uma vez Só faltou combinar com o time de São Januário, que venceu por 2 a 1 e fez o Tricolor cair para terceiro na tabela.

 

 


Sem comentários