(Foto: Paulo Brito/NETFLU)

Ex-dono do Banana Golf, empresário milionário e responsável pelas obras do centro de treinamento do Fluminense, na Barra da Tijuca, que leva o seu nome. Pedro Antônio foi exonerado do Fluminense no dia 28 de julho do ano passado, porque o mandatário Pedro Abad não gostou do ex-dirigente ter dado entrevista falando sobre o projeto de estádio no Parque Olímpico. Emprestando dinheiro ao Tricolor das Laranjeiras muito antes de começarem as obras do CT, ele ainda não sabe quando receberá tudo o que lhe é devido.

O NETFLU apurou que cartolas do Fluminense não procuraram o ex-vice de projetos especiais para abordar o assunto desde que o mesmo fora desligado de seu cargo. O próprio Pedro Antônio confirmou a situação, mas preferiu não fazer comentários sobre o imbróglio, entendendo que o tema não seria pertinente para o momento vivido pelo clube atualmente.

Ao ser procurado pelo site número 1 da torcida tricolor para falar a respeito da dívida com o ex-dirigente, que gira em torno dos R$ 7 milhões, a assessoria institucional do Fluminense respondeu:

– Há alguns compromissos em aberto, dentre eles o do Pedro Antônio. Já houve amortizações nesse mandato e, na medida do possível, receitas extraordinárias serão utilizadas para quitar esses débitos.

O ex-homem forte do CT já tinha aberto a carteira para ajudar o Tricolor em 2014, auxiliando o Fluminense a quitar as contas com o argentino Darío Conca, quando houve a saída do atleta. Na época, foi feito um contrato e “P.A”, como é conhecido nos bastidores, emprestou pouco mais de R$ 164 mil – dinheiro que o clube tinha à disposição. Além disso, Pedro Antônio fez empréstimos para garantir 20% na participação de Marlon, Kenedy e Gerson.

Quando o Fluminense entrou no REFIS, também em 2014, foi necessário pagar R$ 900 mil de impostos. Sem contar com a verba em caixa, outra vez o milionário fora acionado. Depois, havia outra parcela e Pedro Antônio emprestou mais de R$ 1 milhão, sendo reembolsado posteriormente. Ao todo, ele emprestou, aproximadamente, R$ 32 milhões ao Tricolor até o final de 2016. O NETFLU teve acesso a lista de empréstimos de “P.A” até o fim daquela temporada.

Confira: