Há 11 anos, um feito que ainda está guardado na memória de muitos tricolores. Em confronto válidos pelas quartas de final da Copa do Brasil de 2007, aos 33 minutos do segundo tempo, Lenny recebeu na direita e tentou passar por três jogadores. A bola rebateu e sobrou para Adriano Magrão que, de frente para o gol, bateu com categoria para marcar. Fluminense e Atlético-PR se enfrentarão na próxima quarta-feira pela Copa Sul-Americana, mas, há 11 anos, o mesmo duelo consagrou o atacante que guiou o Tricolor ao título que ainda não tinha na galeria. Ao portal Lancenet, Magrão relembra daquele dia que se tornou um herói.

– Eu lembro de tudo, foi muito bom. Estávamos no hotel em Curitiba, um dia frio, estava gelado. Foi um dia muito bom para mim e para o Fluminense. Marcou a minha história e a do Fluminense. Na primeira bola, marquei o gol. Foi importante para a arrancada para o título da Copa do Brasil. Tiramos o Atlético-PR dentro da Baixada, foi um jogo muito difícil.

Adriano Magrão substituiu Rafael Moura aos 31 minutos do segundo tempo. No primeiro toque na bola, balançou as redes e garantiu uma titularidade que permaneceu até o final da temporada. Virou xodó da torcida, ganhou uma música onde dizia que “era melhor que o Shevchenko” e foi decisivo no título da Copa do Brasil daquele ano, como o próprio conta.