Diferentemente do Botafogo, Fluminense edita vídeos de bastidores

Diferentemente do Botafogo, Fluminense edita vídeos de bastidores

Fluminense não corta palavrões na edição de seus vestiários
Fluminense não corta palavrões na edição de seus vestiários

No Campeonato Carioca, a divulgação de um vídeo de bastidores do Botafogo no vestiário em jogo contra o Fluminense causou polêmica. Na postagem do clube rival, Oswaldo de Oliveira mandava seu jogadores “irem para cima dos putos”. Já Bolívar falava em “deixar cicatrizes” nos adversários. O Tricolor também divulga imagens de momentos que antecedem e sucedem as partidas, mas, diferentemente do Alvinegro, edita os vídeos.

O vice de marketing do Fluminense, Idel Halfen, não teme qualquer prejuízo à imagem do clube.

– Não temos medo que aconteça alguma polêmica daquele tipo. Se tiver alguma coisa que julgarmos que seja prejudicial a imagem do clube, vamos editar. Temos uma política de respeito pelas pessoas e instituições – disse.

Na edição do Fluminense, porém, alguns palavrões proferidos nos vestiários não são cortados. Halfen explica:

– Quanto aos palavrões, vamos ver de acordo com a ocasião se podemos deixar. Não dá para achar que no esporte vamos ter algo limpo, sem palavrões. Se não for ofensivo, vamos usar. Se não for algo grotesco e chulo, não vemos problemas. O vestiário não é um conclave. Estamos filmando uma preleção, sai palavrão de vez em quando. Não adianta ser hipócrita.


Sem comentários