Trabalhar com um grupo tão jovem propicia uma equipe, em tese, mais veloz, intensa, mas, pelo outro lado, a imaturidade poderá prejudicar. A diretoria do Fluminense, na figura de Fernando Veiga, reconhece que, não fosse pelo técnico Abel Braga, os bons resultados no primeiro semestre não seriam os mesmos.

– Claro que ele fica preocupado por ter muitos jovens no time. Mas comprou o projeto e tem absoluto controle sobre os jogadores, além de suas qualidades técnicas – comentou o vice de futebol, que complementou:

– Colhemos resultados relativamente bons em um prazo até curto. Porque não é rápido trabalhar com garotos.