Marquinho, em seu retorno, foi anunciado pelo ex-presidente Peter Siemsen

Marquinho foi um dos oito jogadores comunicados por telefone  no fim do ano passado de que não atuaria mais pelo Fluminense. Campeão brasileiro em 2010, o apoiador não esconde a frustração. Ele contou que se sentiu traído pelo presidente Pedro Abad.

– Sou um cara explosivo, mas fiquei sem reação. Decepcionado. Depois de tudo o que fiz pelo clube, não só naquele ano, mas pela história. Fui tratado como lixo. Foi uma facada nas costas, uma traição – disse, ao lembrar a ligação de Marcelo Teixeira em 28 de dezembro do ano passado.

No início de janeiro, Marquinho já havia demonstrado sua insatisfação pela maneira como foi dispensado, em entrevista exclusiva ao NETFLU. Confira clicando aqui.