(Foto: Lucas Merçon/FFC)

A paralisação das atividades por conta da pandemia de coronavírus deixou o Fluminense em compasso de espera em relação ao destino de duas crias das categorias de base. Os volantes Caio Vinicius, que estava emprestado ao Atlético-GO, e Zé Ricardo, cedido ao Boavista, já tinham retorno marcado ao Tricolor e seriam utilizados no time sub-23, que atualmente vem sendo comandado pelo técnico Marcão.

A equipe tem o objetivo de fazer com que alguns jovens jogadores se mantenham em atividade, podendo servir tanto como vitrine como também para transição dos atletas que passam das categorias inferiores para o profissional.

A questão é que, diante das incertezas do calendário do futebol, o clube ainda não sabe, inclusive, como serão as competições voltadas para o sub-23 e já busca, internamente, desenhar soluções.

Apontado como promessa, Zé Ricardo foi promovido ainda no ano passado, mas não conseguiu se firmar no elenco e atuou em apenas duas partidas, contra Volta Redonda e Portuguesa, pelo Campeonato Carioca.

Já Caio Vinicius chegou em 2017, após iniciar no Londrina. Ele também subiu na última temporada e atuou em três partidas, contra Atlético Nacional, da Colômbia, e Corinthians, pela Sul-Americana, e Avaí, pelo Brasileiro. Em 2020, foi emprestado ao Atlético-GO e jogou oito partidas, mas a diretoria do Dragão fez uma reformulação por conta da pandemia e o jogador retornaria às Laranjeiras.

No elenco profissional, atualmente, o técnico Odair Hellmann tem como opções para o setor Hudson, Yuri, Henrique, Dodi e Yago Felipe, que chegou como meia, vem atuando recuado.